Educação Política

mídia, economia e cultura – por Glauco Cortez

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO ESTÁ INERTE EM RELAÇÃO AOS ACUSADOS DE CORRUPÇÃO NO ENSINO PÚBLICO NO INTERIOR DO ESTADO

Diretores de Escola são acusados de Corrupção

Por Rita Motta Ópice de Mattos

Diretores de dezoito escolas estaduais de Araraquara foram acusados de desviar os recursos recebidos pelas APMs e justificados os gastos com Notas Fiscais Frias de centenas de Estabelecimentos Comerciais de Araraquara para favorecer uma suposta cúpula de diretores, dirigentes, funcionários e supervisores mafiosos que comercializavam as verbas recebidas nas escolas e na diretoria de ensino. A denúncia foi feita ao Ministério Público e à Secretaria de Estado de Educação, através de sua ouvidoria.

Os denunciantes, a diretora da escola Estadual Franncisco de Monteiro Silva, atualmente aposentada, sua vice diretora e outros, afirmam que foram impedidos de representar contra a dirigente na época dos fatos em “2005″, por causa d aLei que impedia funcionários públicos estaduais fazerem denuncias – “LEI DA MORDAÇA”. “Um dos acusados vendodeores de notas fiscais nessas escolas é a Senhora – proprietária do escritório de contabilidade ”, afirmam, referindo-se aos comerciantes que alguns não sabiam que seus talões eram comercializados. Esta proibição partia da dirigente de ensino da época.
O Ministério Público, através do promotor de justiça , determinou a instauração de inquérito policial para apurar os fatos, pois a denúncia caracteriza crime de corrupção.

Segundo os denunciantes, eles tentam há mais de 04 anos estender a averiguação para apurar eventual participação e responsabilidades aos supervisores de ensino, “mas a SEE-SP, não acata os requerimentos desde 2005. Temos informações que eles receberam brindes dos diretores de escola como relógios, jóias e DVDs, para permitirem a continuidade das fraudes e irregularidades.
Todos os diretores, dirigentes e supervisores negam as acusações. A dirigente atual da dirietoria de ensino de Araraquara, afirma que os denunciantes ou a denunciante são mentirosos e falsários e que ela nunca entrou irregularidades nas escolas de Araraquara, porque atuava como supervisora de ensino da escola que mais apresentou notas fiscais frias em seus relatórios d eprestação de contas à FDE. Mas tanto a diretora da escola confirmam serem alvo de calunias e difamação. E os alunos e pais como vêem este procedimento que para muitos diretores e supervores são comuns e a SEE-SP?.

Os outros diretores que nem foram averiguados pela FDE negam a participação no esquema, e ainda exigem dos denunciantes provas contra eles. Como? Se já desapareceram com todas as provas??? Os diretores informam que os denunciantes serão processados e terão que provar em juízo tudo o que falaram.

Os comerciantes alvos das denúncias  e outros negam qualquer ter prestado serviços ou vendido qualquer tipo de material às escolas de Araraquara.
Rita Motta Ópice de Mattos

Leia mais em Educação Política:
INTERNAUTA: GOVERNO DE SÃO PAULO PROTEGE A CÚPULA DOS GESTORES E DIRIGENTES ACUSADOS EM ARARAQUARA
INTERNAUTA: A EDUCAÇÃO BRASILEIRA ATRAVESSA UMA CRISE E VÁRIAS SÃO AS SUPOSTAS CAUSAS QUE PROVOCAM A CRISE
POEMA DO DIRETOR: OS DRAMAS DA ESCOLA PÚBLICA DE SÃO PAULO EM VERSO
EDUCAÇÃO POLÍTICA É IMPORTANTE PORQUE TEMOS MUITOS ANALFABETOS POLÍTICOS
PROFESSORA: CORRUPÇÃO É A TORTURA DA SOCIEDADE BRASILEIRA
ESTUDANTES SE MOBILIZAM PARA QUE PARLAMENTARES NÃO TIREM O DINHEIRO DO PRÉ-SAL DA EDUCAÇÃO
About these ads

66 Respostas para “SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DE SÃO PAULO ESTÁ INERTE EM RELAÇÃO AOS ACUSADOS DE CORRUPÇÃO NO ENSINO PÚBLICO NO INTERIOR DO ESTADO

  1. Gilberto Carvalho 24 outubro, 2009 às 7:40 am

    OS DIRETORES DE ESCOLAS DE ARARAQUARA – INDICIADOS NO 2º DISTRITO POLICIAL DE ARARAQUARA – “O PODRÃO”, NÃO SERÃO AFASTADOS.
    Pais de alunos acusam diretores de escola estaduais de Araraquara – SEE-SP controlados supostamente pelo Primeiro Comando da Corrupção (PCC) de corrupção e cometer irregularidades administrativas para favorecer líderes do crime. Segundo os pais de alunos, na tentativa de permanecer nas cadeiras, diretores de escola pelo menos 22 diretores estão desrespeitando as regras disciplinares e administrativas do sistema Educação do Estado de São Paulo, em nome das Associações de Pais e Mestres, que estão organizando uma mobilização em frente a Secretaria da Educação para o final de novembro deste ano.

    Os diretores de escolas são suspeitos de superfaturar preços, apropriar-se de recursos destinados à compra de materiais de limpeza e ficar com o dinheiro recebidos pelas APMs,
    Ainda segundo a denúncia, os diretores teriam evitado que a totalidade da facção criminosa fossem indiciados por crime contra a administração pública e peculato. O Inquerito Policial que investiga os fatos está no 2º distrito policial de Araraquara – CHAMADO DE “O PODRÃO” – PROCESSOS COM UM AMONTOADOS DE VOLUMES. Há diretores de escolas já indiciados por diversos crimes. O caso está sendo apurado pelo Ministério Público.
    E a SEE-SP, informou que estes diretores de escolas acusados permanecerão em seus cargos. Será supostamente para a manutenção financeira “patrocinadores” das campanhas eleitorais vindouras? E cabos eleitorais
    Gilberto Carvalho.
    Blog – Um aposentado que luta a Contra a Corrupção na Educação.

  2. Roberta Guará de Almeida 24 outubro, 2009 às 7:51 am

    Dizem alguns que “Os políticos são reflexos do povo que os elegem.” Será essa uma regra que se aplica ao nosso povo brasileiro. E ao povo de Araraquara?

    Roberta Guará de Almeida

  3. Erik Marques 24 outubro, 2009 às 7:57 am

    Sabe o que sempre penso…
    Se num futuro remoto, teremos uma sociedade mais justa e sensata, iremos ser motivos de chacota para nossos descendentes.
    A nossa politica será real em prol a sociedade somente quando exarcebarmos de vez todas mentalidades que buscam o poder, a manipulação da massa, a concorrência entre outros distanciadores do real proposito do homem…

    Como muito bem dito por você ” o ser humano tem condições de pensar criticamente, de compreender e de projetar seu próprio futuro”, pois é, já que quando nascemos somos uma folha branca que é moldada e escrita conforme o nosso ambiente, ou mudamos este ou continuaremos vivendo nesta “ilusão de felicidade” (e realidade)…

    Muito bom o texto, e parabéns pelo blog, se tivessemos uma grande quantia de imprensa alternativa como esta, garanto que a sensatez politica iria ser maior.

    Erik Marques

  4. Livia Lamblet Martins 24 outubro, 2009 às 8:00 am

    Interessante os textos que tratam de corrupção nas escolas. Por diversas vezes tendemos a fechar os olhos e esquecer a podridão em que estamos inseridos. No entanto, somente com a consciência crítica e o estudo poderemos alcançar um estado de despertar. Assim, talvez consigamos mudar algo nesse mundo…
    Livia Lamblet Martins

  5. Gilmar Gaudêncio 24 outubro, 2009 às 8:18 am

    E O CANDIDATO ELEITO EM ARARAQUARA PARA DEPUTADO ESTADUAL TEM CUMPRIDO O COMPROMISSO FEITO NOS PALANQUES? PARECE QUE NÃO…
    - DEPUTADO ELEITO PELO POVO É SUPOSTAMENTE DEFENSOR DA CORRUPÇÃO NA EDUCAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL.
    Discurso eleitoral. Um toque de humor a respeito da peroração dos nossos Pinóquios e Odoricos Paraguaçus de Araraquara.

    Promessas antes da posse

    Nosso partido cumpre o que promete.
    Só os tolos podem crer que

    Não lutaremos contra a corrupção.
    Porque, se há algo certo para nós, é que

    A honestidade e a transparência são fundamentais.
    Para alcançar nossos ideais
    Mostraremos que é grande estupidez crer que

    As máfias continuarão no governo, como sempre.
    Asseguramos sem dúvida que

    A justiça social será o alvo de nossa ação.
    Apesar disso, há idiotas que imaginam que

    Se possa governar com as manchas da velha política.
    Quando assumirmos o poder, faremos tudo para que

    Se termine com os marajás e as negociatas.
    Não permitiremos de nenhum modo que

    Nossas crianças morram de fome.
    Cumpriremos nossos propósitos mesmo que

    Os recursos econômicos do país se esgotem.
    Exerceremos o poder até que
    Compreendam que

    Somos a nova política.

    Gilmar Gaudêncio – gilgaudencio@hotmail.com

  6. Ana Luiza Merlin Matheus 24 outubro, 2009 às 8:25 am

    Pinóquios e Odoricos;
    Ciclos pré-eleitorais
    O país começou a viver seu primeiro dos três ciclos pré-eleitorais. O primeiro ciclo pega outubro e novembro; o segundo abriga dezembro, janeiro e fevereiro; e o terceiro começa em março e vai até junho. No primeiro, a meta é alavancar os nomes dos pré-candidatos, tornando-os mais visíveis. O segundo, no período de festividades de fim do ano velho e começo do ano novo, o foco é a articulação, com muitas conversas ao pé do ouvido. E o terceiro será dedicado ao fechamento de acordos e tomada de decisões, encerrando-se com a Convenção dos partidos.

    “Civilização, antes de tudo, é vontade de convivência.” (Ortega Y Gasset)

    Decalagem

    O candidato quer atingir o alvo distante. Que passará à altura de seus olhos no início de outubro de 2010. Mas sua arma deve disparar agora. O que deve fazer ? Calcular a distância do alvo, velocidade com que se movimenta, a velocidade da munição da arma em suas mãos, o atrito do ar, as condições do tempo etc. Se tudo for bem medido, a probabilidade de acertar o alvo é alta. A isso se chama, decalagem.

    Ana Luiza

  7. Fábia Domingos Ribeiro 24 outubro, 2009 às 8:34 am

    Glauco você está continua sendo intimidado, ameaçado pelos politicos poderosos de Araraquara para não publicar os comentários sobre a corrupção alarmante na diretoria de ensino de Araraquara?

    A pomba com sede

    Uma pomba acossada pela sede, ao ver uma taça de água pintada num quadro, pensou que era verdadeira. Desceu com impetuosidade, chocando-se contra o quadro. Quebrou as pontas das asas, caindo por terra e sendo agarrada por alguém. Moral da história : certas pessoas, arrebatadas pela violência das paixões, aventuram-se de maneira irrefletida nos empreendimentos, correndo, sem o suspeitarem, em direção à sua própria ruína. Esta breve fábula de Esopo é um alerta a políticos, aventureiros, oportunistas e quetais… Eis o conselho dos Leitores Fiéis deste Blog, que sem medo e liberdade aconselha: Cuidado : Vivam cada átimo de segundo, dando ao tempo o seu ciclo de vida. Sem estrangulamentos. Cada coisa no seu lugar e em seu devido fuso horário.Sem perseguir e desmoralizar quem combate a Corrupção, é sabido que este seria o papel dos Nobres Politicos Eleitos, infelizmente a oportunidade faz o ladrão.

    Fábia.

  8. Benicio Antunes 24 outubro, 2009 às 9:32 am

    Glauco, leitor deste blog máximo;
    Ò pior é q é assim mesmo!!!Fazer o que?

    Bene.

  9. Joana fontes Mercuri 24 outubro, 2009 às 9:33 am

    hauhauhauhauh, essa foi boa, salvou minha semana…

    Joana

  10. Cleide Afonso de Alcantara 24 outubro, 2009 às 9:36 am

    A injustiça provoca a revolta, e quando nos revoltamos passamos a não aceitar a injustiça; daí lutamos, buscamos uma resposta em Deus.E quando somos injustiçados nos humilhamos nos pés do Senhor, clamamos. E devido buscarmos uma resposta a todo custo acabamos encontrando. E se não fosse a injustiça ainda estaríamos acomodados.

    Cleide

  11. Cristiana Martins 24 outubro, 2009 às 9:38 am

    Engraçado como vemos coisas que Nao nos agradam e que nos machucam como injustiça ne, tambem me sinto assim muitas vezes, mas realmente, acontecem coisas no qual nao encontramos explicaçoes mas que mesmo assim e preciso que aconteça, nenhuma folha cai sem a permissao de Deus e se nossa vida esta nas maos Dele ele tem o controle apesar de tudo… Bjinhos para a Rita Motta, para o Glauco e que Deus nos ajude a vencer cada obstalulo de nossa vida…. VC são pessoas muito especiais…

    Cris

  12. Adriana Costa Marinho 24 outubro, 2009 às 9:42 am

    Amados!! A paz do Senhor!
    Sabe por cristocidência, hehehe, estava vendo os blogs e cai no seu! Já havia recebido essa mesma frase de um professor meu de teologia!! Lembre-se “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”. Rm 8:28. Nunca esqueça que as injustiças para um filho de Deus são apenas o tempo certo para Deus cumprir o seu propósito. Devemos ter em Cristo uma visão futura, não é? Lindo texto amada Rita Motta, que Deus continue te usando, para que com suas experiências, possas falar mais Dele a todos os que nunca ouviram ou que precisem ouvir, denunciar as injustiças graves que ocorrem em nossas escolas estaduais de São Paulo, e ora de Araraquara. Fica forte, pois Ele é nosso refúgio, fortaleza e refrigério. Ele é como esse rio, nada pode mudar o curso de Sua vontade, quando Deus abre ninguém mais fecha, quando Ele se levanta, todos se calam…Eita Deus poderoso!! ehehe. Fica na paz santissima do Senhor. Soli deo gloria!!

    DriKa

  13. Arlinda Basilio dos Santos 24 outubro, 2009 às 2:03 pm

    O combate à corrupção, é um objetivo e a meta é colocar um freio na sequência cada vez mais crescente de desmandos administrativos, de desvios de recursos públicos, de nepotismo e toda sorte de malversação do dinheiro do povo. A iniciativa, a exemplo de todas as outras já adotadas neste rumo, merece o aplauso e o apoio da sociedade porque visa a resguardar o patrimônio coletivo da sanha de inescrupulosos gestores e detentores de mandato, mas ela não se encerra em si mesmo.

    É preciso que as instituições públicas e privadas adotem uma série de medidas que barrem de uma vez por todas o imenso sangradouro aberto nas finanças públicas por causa da corrupção desenfreada. E o melhor meio para que este objetivo seja alcançado será através da educação. É preciso que as pessoas aprendam desde cedo que usar o dinheiro público em benefício próprio é um crime sem tamanho. As escolas públicas e privadas deveriam adotar em sua grade curricular uma disciplina que incentive as crianças a serem honestas, não pelo fato de que ser honesto é apenas uma virtude, mas uma necessidade cada vez mais crescente na sociedade. Se as coisas continuarem na mesma ordem em que estão, dentro de mais alguns anos o sentido da democracia estará totalmente desfigurado.

    As pessoas deixarão de acreditar nos políticos e cada vez mais vão participar menos das discussões sobre os rumos da cidade, do Estado, da nação. Isso possibilitará que apenas os aproveitadores disputem os cargos políticos e vençam as eleições. E como eles estarão conscientes de que o povo, aquele que paga a conta, não se importa em ser roubado, vão desviar tudo que for possível. O resultado disso tudo será a deterioração cada vez mais crescente das instituições, a decadência da máquina pública como elemento de solução dos problemas sociais. Mas, para que esse quadro negro não seja confirmado, é preciso uma atitude agora. O combate à corrupção é necessário, mas ele sozinho não vai resolver o problema. A educação será a principal arma a ser utilizada em busca de um basta nessa situação. As crianças aprendendo a não praticar e a denunciar os casos suspeitos será a forma mais prática de resolver um problema que vem angustiando o País. É preciso uma reação e ela deve surgir do seio da sociedade, a verdadeira dona do Brasil.
    Arlinda Basilio dos Santos

  14. Nelma de Jesus Carneiro 24 outubro, 2009 às 2:32 pm

    Glauco, cada dia que passa fico mais preocupada com o rumo que a imagem dos profissionais da educação está tomando, principalmente em relação a sua valorização, pois surgem, de tempos em tempos, aliados de todos os campos querendo de alguma maneira intervir na relação professor-profissão-ação.

    Na verdade o que ocorre é uma avalanche de socorristas que intervém, na tentativa de reorganizar a área da educação, sem muitas vezes terem preparação alguma para tal iniciativa, mais uma vez desvalorizando nosso trabalho, nos colocando de certa forma até como incompetentes.

    Talvez as iniciativas institucionais não sejam na direção de abafar os profissionais da área educativa e sim tentar garantir a curto prazo uma melhora nesse âmbito, algo momentâneo, porém não se consegue garantir um bom direcionamento com profissionais não-qualificados para tal tarefa. Fica somente um tapa-buracos, de baixa qualidade, sem garantia de resultados concretos.

    Esses acontecimentos me fazem refletir muito, principalmente em relação a desvalorização de nossa classe, pois qualquer um se candidata em algum programa ou projeto dizendo-se com vontade de ser um professor e acaba tomando nosso lugar.

    Convenhamos, somos profissionais qualificados. Para quem não sabe, estamos incessantemente em estudo, nos atualizando, sempre lendo para podermos transmitir o melhor para nossos alunos, sempre fazendo cursos e mais cursos, pós-graduações, especializações e o que ganhamos com isso?
    Fico pensando tristemente no porquê que ninguém nos dá valor… Não temos nem sequer piso-salarial e para piorar a situação quando alguém pode se atravessa na frente e pega nosso lugar, sem mais nem menos.

    As pessoas se delegam professores, sem serem, não tem qualificação alguma!

    Não se deveria permitir isso, não é assim que se resolve dificuldades, qualquer problema que surja deve ser tratado com especialistas, assim como as doenças que são tratadas por médicos e não por engenheiros, por exemplo. Vamos imaginar o engenheiro receitando remédios… ele terá essa qualificação? Tem certeza do que está fazendo? Está realmente tratando o paciente? Ou está tapando o sol com a peneira? Vale a pena?

    É exatamente o nosso caso: profissionais de outras áreas que se dizem de alguma maneira aprofessorados entram em cena, tiram nossos lugares e ainda saem levando a fama de amigos da escola!

    E nós então, o que somos? Por onde anda nossa fama? Por que não nos vêem, por que estamos tão desacreditados? Quem fez isso? Quem começou isso?

    Acredito que nesse momento temos que pensar muito sobre o que estão tentando fazer com nossa profissão, colocando, inclusive, meios de comunicação dando aulas por nós, mais uma vez tirando o humano e colocando a máquina a mercê da sociedade.

    Alguém não está contente com nossa atuação, então que nos ajude, nos direcione melhor, porque somente nós estudamos para tal, somos as pessoas certas para lidar com a escola.

    Só quem é da área sabe o que estudamos, o que vivemos dentro de uma sala de aula e fora também, tudo o que nos esforçamos para atingir nossos objetivos da melhor maneira possível, sempre com muita competência.

    Por que não fazem mais concursos? Não nomeiam mais professores? Não contratam? Não valorizam mais o estudioso da área da educação? Mas ele e somente ele é o profissional capaz, mais ninguém!

    Nossa profissão não pode sumir, é muito profunda nossa missão…

    Temos que ter o máximo de cuidado para que isso não aconteça, porque se os professores especializados sumirem, a humanidade estará perdida!
    E os politicos eleitos pelo povo deste Estado deveriam cuidar, barrar a Corrupção desenfreada que assola nossas escolas e deixar o professor trabalhar em paz.
    Nós professores agradeçemos.
    Nelma de Jesus Carneiro

  15. Lauro Augusto Lopes 24 outubro, 2009 às 2:41 pm

    Nós Professores somos esforçados mais para quem não sabe ano passado eles tentaram fazer duas greves porém nenhuma escola acatou e o que resultou em fracasso.
    Tenta dar aula numa sala de 45 alunos que não querem nada com nada………
    E contra a Corrupção nas escolas de Araraquara e região o governo vira as costas.
    Assim não dá.
    Lauro – professor – Matão SP

  16. Jorge Roberto Innocencio da Costa 24 outubro, 2009 às 2:43 pm

    Infelizmente vivemos em um mundo onde a ignorância ainda habita de maneira premente o seios de muitas pátrias. Enquanto não mudarmos esse cenário, certamente teremos a corrupção e a improbidade com o dinheiro público, em releitura ao texto do dramaturgo alemão Bertold Brecht, vemos que é da escola que sai o pior dos analfabetos o políticos, que em seu magistério da ignorância, propaga a violência, a prostituição e tantas outras mazelas das quais já nos expectadores, cabendo unicamente aos educadores a faculdade de exterminas, assim estes devem sopesar a lição de Rui Barbosa, que cada dia longe da escola é um dia a mais de vivência na ignorância.
    Prof. Matão – SP

  17. Luiz Henrique da Silveira Gomes 24 outubro, 2009 às 2:58 pm

    A corrupção assusta

    A corrupção cresceu ainda mais nos últimos sete dias, com novos escândalos surgindo na mídia, o que deixa os brasileiros ainda mais assustados e perplexos.
    A última grande revelação dá conta de superfaturamento na gestão de diretores de escola da cidade de Araraquar apelo menos 55 diretores praticavam esquemas de corrupção na diretoria de ensino de Araraquara. Todas as prestações de contas tiveram seus preços iniciais reajustados em 450%, o que possibilitou o desvio de até R$ 100 milhões, que teriam ficado com os próprios diretores e a ex dirigente de ensino.
    Em praias brasileiras, Paris, Londres, onde passam boa parte do ano instalados nos hotéis mais caros da Europa.
    A SEE-SP orientou a expedição de burocrática nota oficial desmentindo as acusações. Burocraticamente, representantes do ministério público admitiram que as novas denúncias “podem” permitir, adiante, posicionamentos mais conseqüentes da Justiça.
    De fato, a SEE-SP – Diretoria de Araraquara parece ter se transformado num grande “ninho de corrupção”, como, acertadamente, qualifica os comentários na Internet no mundo todo. Ninho, contudo, intocável, pois a sociedade não conhece caso em que corruptos e corruptores tenham conhecido o “braço da lei”. É tão ampla e tão profunda a corrupção nas Escolas de Araraquara – SP, que usam dos mecanismos institucionais em sua defesa da e a sociedade está igualmente envolvidas no processo, como foi demonstrado em sucessivasaveriguações dos últimos tempos, a começar pela do Judiciário.
    “Tenho vergonha do Brasil. Chegou a hora de o povo reagir”, disse um dos brasileiros mais conhecidos e respeitados no exterior, Pelé. Reagem os índios, os professores, os pais de alunos. Mas a sociedade civil brasileira não reage. É inacreditável, o que apenas amplia o sentimento de vergonha e perplexidade.
    O novo ciclo de denúncias de corrupção não decorre, como defendem alguns, da liberdade de imprensa ou da capacidade de informar da mídia. Ele não é hoje igual ao passado, só que agora mais divulgado, como justificam os menos informados. Ela, a corrupção, é estatisticamente maior. Denúncias igualmente ocorrem nos grotões do País, com o desvio de recursos para a educação, e nas grande capitais, como São Paulo, onde elas se multiplicam e alcançam não apenas o Executivo, mas também o Legislativo e o Judiciário.
    Políticos quase sempre, mas também juízes, policiais, empresários, fiscais, administradores públicos de todos os escalões são os personagens principais da corrupção. Propina, superfaturamento, falsificação de licitações, desvio de verbas, tráfico de drogas, enriquecimento ilícito, extorsão constituem o cardápio da corrupção brasileira.
    A corrupção é tanta, que a dirigente de ensino de Araraquara Nega a sua existência, tenta enganar, confundir e alienar as pessoas que desconhecem os fatos . A Nação, perplexa e assustada, assiste a tudo. Na expectativa de que alguma coisa aconteça. Se não reagir, nada acontecerá.

    Este novo ciclo de corrupção assusta os brasileiros, que, indignados, apenas acompanham os fatos. Os mecanismos institucionais de defesa estão emperrados, quando não diretamente envolvidos.
    Luiz Henrique da Silveira Gomes

  18. João Flávio Pires Pontes 24 outubro, 2009 às 3:22 pm

    Por uma educação limpa e sem corrupção no Estado de SP.
    Recentemente, comentando em um blog de uma colega lembrei que há tempos eu mesmo “não faltava a escola”. Em certo sentido, sinto-me ainda aluno da escola pública, onde aprendi a ler e a escrever, e aonde agora leciono, ou pelo menos, penso que tento. Pois, então, tirei a tarde e lá vou eu voltar a postar na internet, como se isso não houvesse prazer, mas também obrigação.

    O que me tocou, a comentar , foi ler os posts em vários blogs sobre o atual quadro do ensino público e seu abandono,corrupção de diretores de escola, a impunidade e a falta de atitude da SEE-SP que me parece inerte, cega e de propósito. E qual o papel dos diretores de escola, no qual constam alguns deveres, como o de dirigir o estabelecimento de ensino e pesquisa, gastar as verbas com responsabilidade. Polêmica e de ampla discussão foram as matérias deste assunto postados em muitos blogs, nos jornais por estes dias, então recorri ao seu blog pra ler de perto a notícia, num sinal de vitalidade, ou experança, de que é possível outra escola.
    É estranho que quando nos voltamos a falar sobre a educação, no sentido forte da palavra, sempre voltam as questões mais profundas do ser humano vivendo em sociedade, e a necessidade de criarmos valores de igualdade, fraternidade e honestidade. A escola, tão pouco importando a sua localização, e para além dos resultados que possam ser apresentados nas matrizes estatísticas dos governos, sejam estas avaliações quais forem, que apresentam as mesmas condições.
    Talvez, isto seja um sintoma da contemporaneidade, e que precisamos diretores capazes, honestos, pra enraizar na cabeças dos adolescentes que há diferenças que precisam e devem ser respeitadas, e que são por elas que se formam as cidadanias.
    E que saibam que não SOMOS CEGOS, SURDOS E MUDOS.
    João Flávio Pires Pontes

  19. Cremilda Estella Teixeira 24 outubro, 2009 às 3:39 pm

    CHORA ARARAQUARA, CHORA SÃO PAULO, CHORA BRASIL…A ESCANCARADA CORRUPÇÃO E ABANDONO GERAL NAS ESCOLAS DE ARARAQUARA CONTINUA…
    A CORRUPÇÃO, DIRETORES, SUPERVISORES DE ENSINO IMPUNES, MILHÕES DE REAIS PARA O BOLSO DE LADRÕES TRANSVESTIDOS DE DIRETORES DE ESCOLA. E O ALUNO?
    E a criança é o futuro do Brasil, como se explica o ódio que a grande imprensa tem de aluno de escola pública ?Como explicar o modo tendencioso e os dois pesos e duas medidas colocados entre professor e aluno ? Como se explica a impunidade na Diretoria de ensino de Araraquara até hoje acobertada por cobertor curto.
    Escola manda aluno a partir de sete anos para a delegacia, conduzida por policiais que o Governo Serra coloca na escola a disposição dos professores. Nem precisa agredir, basta gritar com um professor que vai preso como aconteceu na cidade de Campinas com uma aluna de sete anos. Outro de sete anos reagiu e foi preso também em Jundiái.
    Numa escola onde não se aprende nem o minimo, escola onde o ócio e exemplo de covardia, corrupção na diretoria de ensino de Araraquara e a truculência da atual dirigente é constante, aluno tem que ser ofendido, agredido, ter seus pertences roubados sem nem poder esboçar um gesto.
    Nem o mais ingênuo dos telespectadores acreditaria na explicaçao da dirigente de ensino atual, que se espreme, retorce, RUMINA parece querer até chorar contando que é tudo mentira, falso, inventado, que bom seria, mas não é. Ora…a gente sabe que esses Defendemos minimamente o que é nosso, o que pagamos.

    Junta tudo com o cotidiano da escola pública de São Paulo, de Araraquara e fica claro que o que a SEE-SP concorda com a corrupção e apoia os criminosos diretores de escola, mostrou foi mais um surto de Impunidade, neste caso mais um inexplicavel ataque aos alunos de modo injusto.
    Diretor de escola é santo, abnegado nunca erra, nunca rouba a verbas GORDAS enviadas as escolas. Aluno é o demônio que tem que apanhar e ficar bem quietinho que calado o aluno já está errado e os pais de alunos são omissos.
    Acorda Secretário sua casa já caiu.

  20. glaucocortez 24 outubro, 2009 às 9:00 pm

    Bruno,
    Só um esclarecimento, o texto é da leitora Rita Motta Ópice de Mattos

  21. Pingback: INTERNAUTA: CORRUPÇÃO E FALTA DE INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO É DESRESPEITO À VIDA HUMANA « Educação Política

  22. Rose Bernadetti Campos Salles 17 novembro, 2009 às 10:52 am

    “Não sou Deus, mas posso ser”, mas chega de Corrupção na Educação pública estadual de Araraquara
    Rose Bernadetti Campos Salles
    De um cantador das feiras do interior do nordeste arrematando o mote “Não sou Deus, mas posso ser”, respondendo ao rival :
    “O ano tem doze mês,
    O dinheiro é quem faz guerra
    Adão foi feito de terra,
    Não se morre duas vez;
    Um Reinaldo com dois reis
    Não houve nem há de haver,
    O homem não tem poder
    De fazer outro feliz
    Como é que este bruto diz :
    Não sou Deus, mas posso ser ?”
    Mão Cheinha
    Mão Cheinha era louco e muito querido no Ceará, conta Sebastião Nery. Um dia, levaram-no para o Sanatório Meduna, no Piauí. Mão Cheinha, muito vivo, acabou virando louco-chefe. Tomava conta dos outros e era respeitado por isso. No sanatório, havia um pé de mangueira que nunca dava fruta. Mão Cheinha achava que a mangueira tinha de produzir manga. Chamou oito loucos :
    - Olha, minha gente, vocês todos são mangas maduras. Vão lá para cima. Quando eu gritar, as mangas vão caindo, porque manga madura cai. Manga madura sempre cai. Uma a uma. E chispem. Subam.
    Os oito subiram. Mão Cheinha, de baixo do pé de mangueira, gritou :
    - Manga um !
    Pluf ! O primeiro louco se esborrachou no chão aos gritos de “ai, ai, ai”.
    - Manga dois ! Manga três ! Manga quatro !
    Iam se largando lá de cima e arrebentando-se cá embaixo. Gritos e mais gritos. O louco-chefe mandou :
    - Manga sete !
    Nada.
    - Manga sete !
    Nada.
    - Manga sete, seu p… !
    O sete respondeu :
    - Mão Cheinha, chama manga oito, pois eu ainda estou verde !
    A grande dúvida
    A pergunta é recorrente : quem é o melhor candidato da oposição – José Serra ou Aécio Neves ? Pois bem, responderei, antes dizendo que a análise leva em conta fatores e vetores da política, não preferências pessoais. Vejam. O ciclo Lula fará o possível para não perder as chances de eleger a(o) sucessora(or) do mandatário petista. Para tanto, fez e faz uma política voltada para preencher todos os espaços da pirâmide social. Demandas do A ao Z estão sendo preenchidas.
    Os tijolos da pirâmide
    Lula tem sido um mestre na arte de tapar buracos. Basta conferir. Bolsa Família (12 milhões de famílias), 46 milhões de brasileiros; Luz para Todos; Pronaf (Agricultura familiar), com 16 bilhões; Minha Casa, Minha Vida; redução do IPI para a linha branca e automóveis (subindo os degraus da pirâmide); auxílio bolsa estagiário; ProUni; Pré-Sal (simbolismo de Brasil Potência, auto-estima dos brasileiros); propaganda farta; máquina engordada com milhares de petistas em postos-chave da administração; Fundos de Pensão (só Previ dispõe de 200 cargos nas maiores empresas do país); Centrais Sindicais com os cofres cheios (R$ 116 milhões distribuídos só este ano); PAC, mesmo pobre de obras, mas com pulverização de serviços nas unidades federativas etc.
    Plebiscito
    Nunca na minha vida de consultor político, assisti a tamanha utilização e manipulação da máquina do Estado a serviço de um projeto eleitoral. O ciclo Lula vai querer – e não porque achar que não conseguirá – fazer a comparação entre os 8 anos de FHC e a era de prosperidade desenvolvida pelo lulopetismo. O eleitor decide sob a pressão do bolso, mais que sob a emoção. Pensará antes de dar seu voto : estou bem, prezo e defendo minha situação ou quero mudar ? Essa pergunta será forte no ânimo eleitoral.
    E o mensalão ?
    Não haverá mensalão ou episódio de corrupção capaz de empanar os feitos do ciclo lulista. Até porque acho que o senador Eduardo Azeredo será inserido nas margens da crise do mensalão. Sob essa moldura, acho a eleição do governador paulista para presidente da República bastante difícil. Ao contrário, não tenho receio de dizer que a eleição estadual seria para José Serra um voo tranquilo; a eleição federal, um voo muito arriscado.
    Queda e subida
    José Serra tende a cair nas pesquisas, até porque, hoje, seu alto índice de intenção de voto – que beira os 40% – reflete recall da alta visibilidade, de ontem e de hoje. E índice de recall não pode ser considerado seguro. Em uma campanha, valerá o índice da exposição e dos programas apresentados. Sempre pinço o exemplo de Gilberto Kassab. Como se recorda, ele, quando candidato, começou com 4%. Em abril de 2008, patinava baixo. Ganhou a campanha.
    Aécio sobe
    Diante dessa moldura – ligeira, é claro – aconselho os leitores a uma reflexão. Aécio Neves não tem o que perder. Serra tem e muito. Se perder a campanha presidencial, encerra a carreira. A idade atrapalharia nova jornada. Aécio Neves poderia ser o candidato tucano, até porque tem o segundo colégio eleitoral do país nas mãos, o terceiro lhe seria simpático (Rio de Janeiro) e o nordeste poderia contar com um candidato que tem um pedaço do Estado sob o solo nordestino (o norte de Minas, Montes Claros está sob a égide da SUDENE).
    Melhores chances
    Por essa razão, vou à conclusão. O governador mineiro reúne o maior conjunto de fatores, condições e potenciais de crescimento. Quebraria a polarização entre os ciclos Lula e FHC. Racharia o PMDB de modo mais contundente como hoje o partido se apresenta. Já José Serra, pelo bom governo que realiza, teria condições efetivas de obter consagradora votação em São Paulo como candidato à reeleição. O momento da decisão não é agora. Pode ser que o quadro mude. E mude, até, a favor do governador paulista, de modo a destruir argumentos e posicionamentos que expressei acima.
    Hermes, o burro
    Depois de Nilo Peçanha, assume o governo o marechal Hermes da Fonseca (1910/1914). Levava fama de burro. Conta-se que nos 10 meses em que, sob o governo Hermes, o país viveu em estado de sítio, a Polícia proibiu que o jogo do bicho aceitasse palpite no burro. O burro poderia ser alusão ao marechal. Quem se der à tarefa de pesquisar os jornais da época, vai encontrar palpites nos outros 24 bichos da série, menos no burro.
    1 milhão de empregos ?
    O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, anuncia com estardalhaço : o país criou um milhão de empregos. Nota triste de pano de fundo : nunca na história deste país, as relações do trabalho foram tão manietadas por uma gestão fechada, sob a égide de sindicatos e Centrais Sindicais que se movem à pecúnia.
    Dianteira
    José Serra tomou decisão avançada. Assinou lei que estabelece como meta reduzir 20% da emissão de gases de efeito estufa em SP até 2020. Tomou a dianteira. Foi ousado. Serra tem dado bons exemplos.
    Abanando a cabeça
    Churchill estava sentado, sacudindo a cabeça de maneira tão vigorosa e perturbadora que o orador gritou exasperado :
    - Quero lembrar ao nobre colega que estou apenas exprimindo minha própria opinião.
    Churchill, raposa matreira, respondeu :
    - E eu quero lembrar ao nobre orador que estou apenas abanando a minha própria cabeça.
    Quadro paulista
    Se José Serra não for o candidato à reeleição, em São Paulo, é mais provável que a vaga fique com Geraldo Alckmin. O ex-governador não é o candidato in pectore de Serra e de Kassab. Ambos, porém, são realistas. Se Geraldo for o perfil a sinalizar melhores condições de vitória, será ele o candidato. Aloysio Nunes Ferreira, o chefe da Casa Civil, poderia voltar à Câmara Federal. O vice de Alckmin caberia ao DEM e este, por sua vez, gostaria de indicar Guilherme Afif para compor a chapa.
    Ciro une base
    Da base oposicionista, em São Paulo, Ciro Gomes acena com o apoio do PT, PDT, PSB, PSL, PSC, PRB, PTN e PC do B. Por enquanto. Poderia agregar, ainda, PR, PP e parte do PTB. Ciro quer ser candidato ao governo e à presidência. A decisão será de Lula.
    Povo é povo
    Alcides Carneiro veio ao Rio, procurou o coronel Massa, sogro do escritor José Lins do Rego, que foi chefe de Polícia na Paraíba e agora era senador.
    - Sou apenas um jovem advogado. Mas, se o senhor me permite, acho que o senhor precisa dar um pouco mais de atenção ao povo.
    - Ora, meu filho, esse negócio de povo ninguém entende mais do que eu. Povo só é povo quando é povo. Povo que não é povo não é povo.
    Quércia e Michel
    Orestes Quércia imagina que, até a convenção do PMDB, em junho, poderá reverter a atual tendência do partido na direção de uma aliança com a candidata do petismo/lulismo : Dilma Rousseff. Olhando para a frente, a leitura aponta para o fortalecimento da ministra da Casa Civil e consequente maior conjunto de forças a seu favor. Quércia, por exemplo, tem cerca de 60% dos convencionais de São Paulo contra 40% de Michel Temer. Daqui para a convenção, poderá, até, vir a perder a maioria em seu colégio eleitoral.
    Jung e o rei africano
    Jung perguntou, uma vez, a um rei africano :
    - Qual é a diferença entre o bem e o mal ?
    O rei meditou, meditou e respondeu às gargalhadas :
    - Quando roubo as mulheres do meu inimigo, isso é bom. E quando ele rouba as minhas, isso é muito ruim.
    Skaf vai de quê ?
    Dúvida cruel : o presidente da FIESP, Paulo Skaf, vai de quê ? De táxi, como candidato a deputado federal pelo PSB, ou de AeroSkaf, como candidato ao governo ? O transporte dependerá de Ciro Gomes. Que, por sua vez, dependerá de Aécio Neves. Que, por sua vez, dependerá de José Serra. Que, por sua vez, dependerá do imponderável.
    A loira da minissaia
    Geisy Villa Nova Arruda, 20 anos, estudante de turismo, é o pivô do caso mais estrambótico da história recente da discriminação no país. Mostrou as pernas, atiçou a turba, foi agredida e, pasmem, acabou sendo expulsa da Universidade por um dinossaurico reitor. Que mais parece réplica do Torquemada da Inquisição. E que, após muita pressão da Opinião Pública, recuou da decisão. A moça da minissaia abriu intensa polêmica. O affaire merece ligeira reflexão. Se fosse um marmanjo de cuecas, seria apupado ? Se a galera aprecia pernas bonitas, por que o massacre ? Não deveria ser aplaudida como em um desfile na passarela ?
    Elias Canetti e a massa
    Valho-me de Elias Canetti, o grande escritor e sociólogo, para buscar razões para a agressão. Pincemos características da turba. Massa exaltada. Que quer descarregar. Na descarga, diz Canetti, todas as separações são colocadas de lado. Todos se sentem iguais. Para atacar. Ferir. Apupar. Emerge um impulso de destruição. Que assume a forma de um ataque a todos os limites. A massa quer crescer. Até o infinito. O apupo se expande. O estado primitivo da massa chama a atenção. É o fogo da massa. A massa que incendeia julga-se irresistível. Tudo vai se incorporando a ela enquanto o fogo – o apupo – avança. A massa de fogo se expande. Sem limites.
    Getúlio, eu fico
    Getúlio Vargas sempre conservou intenções continuístas. Um dia, foram procurá-lo para saber se era verdade. E ele :
    - Não, meu candidato é o Eurico (marechal Eurico Gaspar Dutra); mas se houver oportunidade, eu mudo uma letra : Eu Fico.
    Conselho a José Serra
    Esta coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos a políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado à ministra Dilma. Hoje, volta sua atenção ao governador do Estado de São Paulo, José Serra :
    1. Avalie com muita acuidade os potenciais de cada perfil, a partir do seu, alinhando os ouvidos com fatores positivos e negativos, sem considerar o palavrório farto dos áulicos.
    2. Sua candidatura à reeleição é um pássaro na mão; a candidatura à presidência da República, em 2010, são dois pássaros voando.
    3. Seja realista. O risco é maior se deixar para a última hora – maio/junho – a decisão de se candidatar. Dezembro/janeiro seria um tempo mais que suficiente.

  23. Edson Ferreira da Silva 17 novembro, 2009 às 3:52 pm

    Sou funcionário de escola estadual em Marília-SP e não acredito que estas denúncias irão vingar, pois o corporativismo é extremamente forte na SEE. Infelizmente, nada dá em nada: a ouvidoria da SEE é ridicularmente inerte!!!

  24. Antonio Bueno de Assis Pereira 18 novembro, 2009 às 7:40 am

    Auditório do EEBA é interditado
    17/11/2009 às 04:08:36
    Foto:Auditório do EEBA é interditado
    17/11/2009 às 04:08:36
    Foto: Agente da Defesa Civil interdita auditório do EEBA
    O agente da Defesa Civil Edson Adalberto Alves esteve na tarde desta segunda-feira (16) na Escola Estadual de Segundo Grau Bento de Abreu (EEBA) para interditar por tempo indeterminado o auditório da escola que oferece riscos a alunos e funcionários que freqüentam o espaço.

    Segundo Edson, o local está com o telhado todo comprometido devido a ação de cupins que chegaram a consumir as tesouras de sustentação do teto do auditório, que poderá desabar a qualquer momento. Também foram identificados na parede trincos e umidade.

    O agente conta que foi acionado pela diretoria da escola na sexta-feira, e comparecendo ao local junto com engenheiro da prefeitura, constatou os riscos do espaço.

    O laudo técnico foi expedido pelo engenheiro e entregue à defesa civil, que nesta segunda-feira entregou à diretoria da escola para providenciar junto à Secretaria de Estado a reforma do local interditado por tempo indeterminado.

    O diretor Oswaldo Malaspina esteve presente durante o fechamento da sala e contou que só perceberam algo errado quando contrataram uma empresa para fazer a recolocação de placas do forro que são de PVC. Os funcionários da empresa informaram que não poderiam realizar o serviço, pois os cupins haviam consumido boa parte do teto.

    Com o laudo da defesa civil confirmou-se o comprometimento das tesouras de sustentação e a existência de sinais de umidade no forro e nas paredes que acarretaram fissuras, comprometendo a estrutura do auditório.

    “Ficamos temerosos por causa das chuvas constantes por isso acionamos a defesa civil” disse o diretor.

    Malaspina disse que agora o laudo emitido será enviado com um ofício para a Fundação de Desenvolvimento Escolar (FDE) ligada a Secretaria Estadual de Ensino na Capital para pleitear recursos para a reforma do auditório.

    Malaspina pretende pedir ajuda ao governo municipal e ao
    deputado Roberto Massafera para intermediar junto ao governo estadual a reforma do espaço interditado por tempo indeterminado.

    Quanto aos compromissos agendados como formaturas e outros eventos que seriam realizados no local, Malaspina disse que as pessoas já foram informadas para procurarem outros locais, já que não há previsão de quando chegará uma resposta para a reforma.

    Agente da Defesa Civil interdita auditório do EEBA
    O agente da Defesa Civil Edson Adalberto Alves esteve na tarde desta segunda-feira (16) na Escola Estadual de Segundo Grau Bento de Abreu (EEBA) para interditar por tempo indeterminado o auditório da escola que oferece riscos a alunos e funcionários que freqüentam o espaço.

    Segundo Edson, o local está com o telhado todo comprometido devido a ação de cupins que chegaram a consumir as tesouras de sustentação do teto do auditório, que poderá desabar a qualquer momento. Também foram identificados na parede trincos e umidade.

    O agente conta que foi acionado pela diretoria da escola na sexta-feira, e comparecendo ao local junto com engenheiro da prefeitura, constatou os riscos do espaço.

    O laudo técnico foi expedido pelo engenheiro e entregue à defesa civil, que nesta segunda-feira entregou à diretoria da escola para providenciar junto à Secretaria de Estado a reforma do local interditado por tempo indeterminado.

    O diretor Oswaldo Malaspina esteve presente durante o fechamento da sala e contou que só perceberam algo errado quando contrataram uma empresa para fazer a recolocação de placas do forro que são de PVC. Os funcionários da empresa informaram que não poderiam realizar o serviço, pois os cupins haviam consumido boa parte do teto.

    Com o laudo da defesa civil confirmou-se o comprometimento das tesouras de sustentação e a existência de sinais de umidade no forro e nas paredes que acarretaram fissuras, comprometendo a estrutura do auditório.

    “Ficamos temerosos por causa das chuvas constantes por isso acionamos a defesa civil” disse o diretor.

    Malaspina disse que agora o laudo emitido será enviado com um ofício para a Fundação de Desenvolvimento Escolar (FDE) ligada a Secretaria Estadual de Ensino na Capital para pleitear recursos para a reforma do auditório.

    Malaspina pretende pedir ajuda ao governo municipal e ao
    deputado Roberto Massafera para intermediar junto ao governo estadual a reforma do espaço interditado por tempo indeterminado.

    Quanto aos compromissos agendados como formaturas e outros eventos que seriam realizados no local, Malaspina disse que as pessoas já foram informadas para procurarem outros locais, já que não há previsão de quando chegará uma resposta para a reforma.

    Fonte: http://www.folhacidade.com.br/index2.php?pg=ver_noticia&id=2798.
    Antonio Bueno de Assis Pereira
    Outra vez o Deputado Roberto Massafera?
    Abraços Glauco, Antonio Bueno

  25. Ubirajara Ramos Bastos 18 novembro, 2009 às 9:41 am

    PREMIANDO A NULIDADE.
    Vem de fora o especialista dizer que não adianta avaliar a qualidade do ensino no Brasil se não for para tomar nenhuma medida. Isso a gente sabe…O Prof.Santiago Cueto, é especialista em educação na América Latina, diz no portal da Globo o óbvio.
    Pior que fazer avaliação é pagar por uma avaliação da qual todos sabem o resultado.
    Os alunos do Brasil e especialmente de São Paulo não aprendem o mínimo. Está muito mal em relação aos outros países também….Mal aqui e lá fora. Qualquer medida comparativa o Brasil perde longe…
    O especialista comete um erro grave, quando declara que salário não resolve problema da má qualidade do ensino, mas que um bom salário atrai os melhores funcionários. Acho que não contaram para ele que aqui em São Paulo o melhor sálário pode até provocar o interesse de bons profissionais, se não houvesse um sistema de pistolão para se contratar um professor. Ele é contratado com o Quem Indica e depois faz um concurso e de forma misteriosa, só ficam os indicados. Os profissionais de fora, e bons, continuam de fora.
    Não tendo um QI forte, nada feito. Temos a volta triunfal do pistolão na escola pública.
    Os dirigentes Regionais são cabos eleitorais dos deputados e recebem verba que distribuiem como querem…
    Fiscalização nenhuma. Fiscalização teria que ser feita por quem paga a conta. Os pais.
    Exatamente os pais são alijados do processo.
    Um pais onde a verba é suficiente para uma escola de primeiro mundo tem uma escola falida mergulhada na corrupção.
    Tanta verba que sobra bilhões, onde o governo divide entre os deputados, professores, dirigentes de ensino, diretores e supervisores de ensino.
    Uma escola miserável, verdadeiros escombros e sobra um bilhão de verba.(Diretoria de ensino de Araraquara e Taboão da Serra ) – que escandalosamente desvia e desviou recursos destinados as Escolas Públicas Estaduais e estão sendo investigadas)
    Essa espetacular “sobra” vai para premiar professores com nome de bônus.
    Uma gratificação….Agradecendo o quê ???
    PREMIANDO A NULIDADE….
    Abraços Glauco;
    Prof. Ubirajara Ramos Bastos

  26. Vera Lucia Pinheiro Morgado 18 novembro, 2009 às 10:07 am

    Newton: “Serra tem postura de ditador”
    Claudemir Lastori

    Em entrevista exclusiva ao Jornal Primeira Página, o ex-prefeito Newton Lima (PT) disse que o governador José Serra (PSDB) comporta-se de modo autoritário e que não aceita ser contrariado.
    Newton rechaça a opinião de Serra, de que não foi um bom prefeito para São Carlos. “Fui avaliado positivamente por 90% da população”. Segundo o ex-prefeito, Serra é incapaz de absorver derrotas.
    Newton Lima lembra que não teve problemas de relacionamento com ex-governador Geraldo Alckmin, que é do mesmo partido. “Minha relação com Alckmin, foi a mais republicana possível, a mais respeitosa possível. Em nenhum momento o ex-governador levantou a voz com relação a mim e, mesmo havendo divergências ou mesmo não sendo possível ter reivindicações atendidas, eu, em nenhum momento, elevei minha voz contra ele”, ressalta.
    Vera Lúcia – São Carlos.

    FONTE: http://www.jornalpp.com.br/

  27. Cornalina Pereira Duarte 18 novembro, 2009 às 10:26 am

    VAZAMENTO NA PROVA DO SARESP – DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA – SP.
    VAZEM AS PROVAS DO SARESP EM 06 ESCOLAS – FONTE: JORNAL TRIBUNA IMPRESSA
    Parece piada, mas…

    novamente uma prova oficial de grande abrangência teve seu conteúdo violado antes de sua excução.

    A avaliação da aprendizagem dos estudantes constitui uma ferramenta essencial ao planejamento de uma educação de qualidade. Por meio da identificação das principais dificuldades uma gestão educacional séria poderia reorganizar sua estrutura e corrigir os problemas, antes que se transformem em desastres.

    Dada a importância desse tipo de avaliação é de se esperar que os Estados e Municípios não poupem esforços em organizar seus professores e conscientizar seus alunos no sentido da veracidade do processo.

    No entanto, de nada adianta tudo isso se a segurança da prova for comprometida.

    Se não bastasse a lição aprendida com o episódio do ENEM, em que o Governo Federal e o MEC passaram um grande vexame diante da violação da segurança e vazamento da prova, o Governo do Estado de São Paulo resolveu aparecer.

    Depois do fiasco do adiamento das provas da semana passada, que foi divulgado no final da tarde do dia que as antecedia, o mesmo governo que distribuiu livros eróticos às crianças da 3º série e mapas com dois Paraguais se superou: conseguiu implantar um sistema de avaliação mais desorganizado e frágil.

    Para se ter uma noção, na rede Municipal da cidade de São José dos Campos, que é administrada pelo mesmo partido político do Governador do Estado, as provas, que tinham pacotes identificados por escola, foram torcadas, fazendo com que pacotes de uma escola fossem parar em outra e vice-versa. Como os gabaritos já estavam identificados com os nomes dos alunos e haviam poucos em branco para eventuais equívocos, muitas provas simplesmente deixaram de ser aplicadas.

    Nessa mesma rede, em outra escola, tivemos a notícia de que o pacote recebido por avaliadores estava com o lacre rompido e que dentro do mesmo, faltavam cadernos de questões. Além disso, as caixas de provas recebidas pela direção da escola também estavam com os lacres rompidos, o que deixa evidente que a violação ocorrera muito antes que as provas chegassem ao destino.

    Nesse caso específico, cabe uma reflexão. A violação e vazamento das provas do ENEM, embora condenáveis e criminosas, possuem pelo menos um argumento de explicação: o favorecimento direto e a corrupção de pessoas que, sabendo que a prova seria o critério para ingresso em vestibulares de diversas Universidades e para concessão de Bolsas de Estudo aos cursos superiores, aproveitaram-se da oportunidade deixada pelo MEC para simplesmente lucrar. Se não fosse a ganância e boçalidade dos criminosos e principalmente a fiscalização da imprensa, certamente não saberíamos do ocorrido e pessoas de má fé teriam conseguido uma enorme vantagem sobre outras.

    Mas, qual o argumento que explica o vazamento de uma avaliação do Ensino Fundamental, que não serve para outra coisa além de aferir à qualidade do Ensino? Como não se percebe claramente a vantagem que o criminoso teria conseguido com isso, qual seria então a razão para o fato?

    Será que defensortes de uma política educacional falida e claramente ineficiente tentaram conseguir essa prova para manipular os resultados do processo e com isso mascarar a realidade? Se for esse o caso, será que a qualidade de ensino é desconsiderada, em função da pura necessidade de se apresentar dados positivos para manutenção de cargos comissionados?

    Sinceramente, não sabemos a resposta. O que sabemos é que o caso foi relatado por escrito à direção da Escola, à Secretaria de Educação do Município e à propria empresa que fez a prova.

    Por fim, no meio dessa incerteza, o mesmo governo do Estado que rotula os professores de despreparados e incapazes, criou um sistema eletrônico de confirmação da realização da prova, com senhas individuais para os aplicadores e secretárias eletrônicas para compilar as informações em dados.

    Seria perfeito, se não tivessem disponibilizado um único número de telefone 0800 para receber às informações de TODOS os aplicadores, de todas as escolas estaduais e municipais (além de algumas particulares) do Estado de São Paulo. Todos, discando e tentando passar as informações aproximadamente no mesmo horáio, para um ÚNICO número.

    Depois, os professores é que são despreparados…

    Assim, como sabemos que esse tipo de fraude aconteceu em outras regiões do Estado, solicitamos aos usuários que, na medida do possível, divulguem em seus comentários as irregularidades que tiverem conhecimento.
    Abraços da amiga Cornalina Pereira Duarte

  28. Priscilla Ricci 18 novembro, 2009 às 10:30 am

    Bom dia professor, realmente concordo com você. Sempre o professor que não esta preparado para dar aulas, e agora? Foram os professores que violaram as provas???
    O nosso governo é uma vergonha….

    Priscilla

  29. Reinaldo Gomes de Franco 18 novembro, 2009 às 10:34 am

    Ensinando Impunidade – diretoria de ensino de Araraquara – SP.
    De acordo com os resultados do índice de desenvolvimento da educação básica (IDEB) as cinco escolas com melhores resultados no país são instituições militares.

    Desde a implantação da progressão continuada na rede pública de ensino a realidade do cotidiano escolar percebida pelos professores aponta na direção de um expressivo aumento dos casos de violência e indisciplina dentro da escola.

    Após onze anos de uma política educacional equivocada é fácil perceber e constatar a perda da qualidade do ensino. O que já teve um nível de respeito, hoje não passa de mais um sistema de aprovação automática, que produz muita propaganda e pouco resultado.

    A necessidade do estudo para garantir a aprovação por boas notas foi substituída pela falta de perspectiva. Os alunos podem fazer o que quiserem que sua aprovação está garantida. Nem precisam freqüentar as aulas, pois a escola arruma um jeito de compensar suas faltas.

    Formados em um ambiente pedagógico que não estimula o desempenho e favorece a indisciplina, tanto pela gestão das equipes de direção, quanto pela não aplicação das sanções disciplinares e procedimentos previstos em lei, esses alunos são rotulados de “aqueles que tudo podem”.

    Além de desestimular o estudo essa política causa um efeito cumulativo: o aluno com defasagem de aprendizagem, ao ser aprovado pela progressão, não consegue acompanhar seus colegas e como não admite isso se manifesta com apatia, indisciplina e violência. Para agravar essa situação as Secretarias de Educação pressionam as escolas pela não aplicação das sanções disciplinares previstas no Estatuto do Criança e do Adolescente, para não causar desconforto junto à comunidade eleitoral.

    Sem a percepção de um objetivo para o estudo e sem as conseqüências disciplinares para suas atitudes, muitos alunos expressam sua revolta e agressividade como violência contra professores e funcionários, já que não existe a noção de limite.

    A escola se transforma em um espaço destinado apenas ao lazer e à socialização, servindo como um “crechão” que toma conta de menores de idade enquanto seus responsáveis desenvolvem atividades produtivas. São raros os pais e responsáveis que realmente percebem um significado de estudo para a escola, já que não questionam o nível de aprendizagem dos seus filhos

    Nessas condições a escola ensina o pleno exercício da impunidade, fazendo com que seus alunos acreditem que não existe conseqüência para seus atos e que mesmo em situações mais graves tudo se resolve com brincadeira.

    Antes dessa política, muitos dos alunos que concluíam o ensino fundamental se destacavam pela aprovação em instituições conceituadas como o Senai. Naquela época a maior parte das pessoas desempregadas no Brasil tinha mais de 30 anos de idade e estava nessa condição por ser substituída por esses jovens.

    Hoje, os alunos que concluem esse ensino apresentam dificuldades em resolver as quatro operações matemáticas elementares. Muitos mal conseguem ler e entender uma frase longa, com mais de duas linhas.

    Será é por acaso que a as melhores escolas do país são militares?

    Por que nenhuma escola particular conceituada adota a progressão continuada?

    Existe explicação para o fato de que hoje a maior parcela da população desempregada tenha entre 16 e 25 anos; todos formados por esse sistema?

    Trata-se de uma geração perdida, condenada ao subemprego por não ter condições de se integrar ao mercado de trabalho competitivo. Pessoas jovens que não aprenderam muito bem a noção de regras e conseqüências para seus atos e que certamente pesarão sobre o orçamento de programas sociais do governo.
    Prof. Reinaldo.

  30. RACHEL CATARINA LEVI 20 novembro, 2009 às 7:43 am

    Problemas com o SARESP ?

    Houve algum problema com o Saresp, na sua escola?

    Se houve, oficie, imediatamente, à Diretoria de Ensino, relatando os casos ocorridos, até para não ser prejudicado, mais tarde, no bônus.

    Envie uma cópia desse ofício à Udemo Central.

    Veja, abaixo, uma matéria sobre as barbaridades do Saresp.

    Matéria publicada no site FOLHA ONLINE – 19/11/2009 – 08h27
    Exame para 2,5 milhões de alunos de São Paulo apresenta falhas

    do Agora
    da Folha de S.Paulo
    da Folha Ribeirão

    Depois de ser adiado em uma semana, o Saresp, exame do governo paulista que avalia os alunos da rede, foi marcado por novos problemas na quarta-feira (18), quando foram realizadas as provas de português e matemática.

    Parte dos alunos recebeu provas em que a folha de respostas não era compatível com o caderno de perguntas, e em uma questão faltou uma figura.

    Os problemas foram identificados pela reportagem em Mairiporã, Caieiras, Francisco Morato e Cajamar, na Grande SP, e em Atibaia (64 km da capital).

    O Saresp avalia a situação das escolas e da rede e é o principal fator considerado para pagamento de bônus por desempenho aos professores. Participam 2,5 milhões de estudantes.

    A avaliação inclui 26 tipos de prova, com 24 questões de múltipla escolha cada uma. As questões são as mesmas, mas a ordem delas é alterada para dificultar a cola entre os alunos.

    Com o erro nas provas, estudantes se confundiram na hora de passar a resposta para o gabarito e chegaram a rasurar a folha. Eles dizem temer que haja distorções na correção e que ela seja feita à mão, e não por meio digital, como previsto.

    O aluno Vinícius Timm de Alencar, 19 anos, contou que, após 30 minutos de prova, a diretora da escola apareceu na sala, quando foi detectado o erro. “Ninguém sabia o que fazer. Aí, mandaram a gente riscar o número da folha de respostas e colocar igual ao da prova.”
    “Essa confusão gera um estresse para os alunos, o que prejudica os resultados”, diz Ocimar Alavarse, professor da Faculdade de Educação da USP.

    A Apeoesp (sindicato dos professores da rede estadual) disse que deve entrar com medidas judiciais contra o Saresp. Uma pergunta do teste de matemática do 3º ano pedia a observação de um polígono, que não aparecia na prova.

    Em outro erro, uma escola de Araraquara (273 km a noroeste de SP) recebeu as provas de geografia misturadas com as de português. As questões de geografia deveriam ser abertas apenas hoje, quando também acontece a prova de história.

    O Saresp, que deveria ter sido aplicado na semana passada, foi adiado porque o Caed (Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação), empresa contratada para aplicar o exame, não conseguiu entregar todas as provas a tempo.

    Outro lado

    A Secretaria da Educação classificou os problemas como “normais” para um exame do tamanho do Saresp e afirmou que não haverá distorções. Em relação ao caso de Araraquara, disse que o erro de empacotamento das provas foi isolado e não comprometeu a avaliação.
    O Caed disse que a correção poderá ser feita digitalmente.
    FONTE: http://www.udemo.org.br/Destaque_255_problemas_SARESP.htm
    Abraços, amigo Glauco, nós professores, aplicadores das provas do Saresp – 2009, os fiscais, de Araraquara não concordamos com a inoperância que não se pode justificar o injustificável a conduta da SEE-SP em relação aos acontecimentos em Araraquara é inqualificável, omissa e invalida o processo. Mas para secretaria é normal!!!, Não concordamos porque porque vimos, presenciamos e acreditamos que o Saresp está comprometido, invalidado na diretoria de ensino de Araraquara e os alunos e os pais também estão muito revoltados e exigem uma atitude mais séria da Secretária da Educação, há muitas testemunhas do ocorrido.
    Abraços Rachel.

  31. GILBERTO DE SOUZA CONCEIÇÃO 24 novembro, 2009 às 10:11 am

    ALUNO NÃO TEM PADRINHO. MORRE PAGÃO…

    A escola pública está aos Deus dará. Ou melhor: ao politico dará.
    No estado de SP, são os deputados (parentes ou amigos de professores) que escolhem quem entra na escola pública. A prioridade é o Q.I. (quem indica!).
    Alunos tratados como bandidos, tratados como inimigos da escola. Os alunos são considerados violentos e responsáveis pela má qualidade do ensino. Isso até que os pais resolvam tomar uma medida nas urnas.
    Como professora de escola pública é a profissão que não é cobrada, e tem os políticos e a imprensa para protegê-las e defendê-las, os professores não cumprem o mínimo. Não se acham na obrigação de ensinar. São quatro meses de férias por ano… e todo feriado tem a semana de folga garantida. Isso sem contar os dias disso e dia daquilo para não trabalhar.

    Trem da Alegria nas escolas públicas da Cidade de São Paulo
    Como a culpa recai sempre no aluno, vem o vereador Jamil Murad de São Paulo e quer ampliar a folia com o projeto de lei PL 280/09.
    Quer em cada escola uma boquinha para as Assistentes Sociais e para as Psicólogas.
    Já que tem muito e ninguém cobra, vamos ampliar a festa.
    A Assistente Social visitará a família. Não sei onde uma visita de assistente social vai melhorar a qualidade do ensino na escola… certamente vai melhorar para as Assistentes Sociais e Psicólogas. O aluno só vai pagar mais esta conta.
    Isso se os pais não acordarem e perceberem que a escola ruim, seu filho analfabeto e tratado como um animal dentro da escola tem a ver diretamente com o politico que ele colocou lá no poder…

    Autor: Cremilda – Categoria(s): Sem categoria Tags: 5 Comentários Comentar Enviar Permalink Compartilhar Compartilhar no Yahoo! Compartilhar no Technorati Compartilhar no StumbleUpon Compartilhar no reddit Compartilhar no LinkedIn Compartilhar no Google Bookmarks Compartilhar no Facebook Compartilhar no Digg Compartilhar no BlogBlogs Compartilhar no del.icio.us Compartilhar no Linkk Compartilhar no Twitter Compartilhar no MySpace 21/11/2009 – 08:44
    Cremilda Dentro da Assembleia Popular – 18/11/2009
    Senador oportunista
    Cremilda Estella Teixeira criticou o senador Eduardo Suplicy por “desfilar” com a aluna Geisy Arruda, recentemente expulsa de uma universidade por usar um vestido muito curto. Para ela, a atitude do senador demonstra que ele é um “oportunista”. A violência nas escolas de São Paulo também foi tema abordado pela oradora.

    Regras de conduta
    Mauro Alves da Silva, do Grêmio Social Recreativo Sudeste (SER), comentou o Projeto de lei nº 191/2009, de autoria do senador Paulo Paim (PT-SP), que estabelece regras de conduta para alunos e professores da escola pública.
    Revisão: O projeto do senador Paulo Paim (Projeto de lei PLS 191/2009) é discriminatório e tenta consagrar todo o preconceito que existe contra nossas crianças que estudam nas escolas públicas, crianças pobres em sua grande maioria.

    Onde estão os deputados?
    A promotora legal popular Vilma Pereira de Godoy Rodrigues cobrou, entre outras coisas, maior participação dos deputados da Casa nas reuniões da Assembleia Popular.

    O Programa Assembleia Popular é gravado todas as quartas na Assembleia Legislativa de São Paulo. Um resumo é publicado no Diário Oficial da Assembleia Legislativa de SP. E o programa é transmitido pela TV a cabo NET (canal 13) e pala TVA (canal 66) aos sábados, das 12h às 13h. O programa Assembleia Popular também pode ser assistido neste mesmo horário pela internet no seguinte endereço:
    http://wwi.al.sp.gov.br/web/altv/alesp.asx

    FONTE:http://blig.ig.com.br/cremilda/

  32. GILBERTO DE SOUZA CONCEIÇÃO 24 novembro, 2009 às 10:12 am

    20/11/2009 – 11:50
    O ALUNO FEZ O SARESP ENGANADO…
    Os alunos da escola pública não sabem que a função do SARESP é de dar o bônus para os professores.
    Foram enganados. Guardaram segredo e quando alguém sugeria mesmo de leve as professoras negavam de pés juntos….
    Os alunos fracos foram desistimulados a prestar o exame, mas não disseram qual o interesse da nota ser alta .Quando maior a nota do aluno maior o bônus que o professor vai receber.
    O aluno que aprendeu fora da escola, em cursos particulares, em associações, em casa vai na escola e presta e Enem que vai gratificar o professor pelo que ele não ensinou.
    Se os alunos, mesmo os bonzinhos, soubessem que era para avaliar e dar um premio milionário ao professor, duvido que fizessem a prova.
    A escola trata alunos como estorvo na escola .Chama a policia para eles. Não ensina o mínimo e depois espera que os alunos façam uma boa prova por eles?
    Só mesmo do jeito que foi. FORAM ENGANADOS.
    Aliás enganar na escola pública é o que professor faz no cotidiano, salvo as honrosas exceções. São exceções mesmo.
    Então iludir, enganar e ludibriar aluno, sem explicar o que é o SARESP não é nenhuma novidade.
    Vamos lá então orientar o aluno. Contar a verdade, quem sabe o ano que vem eles dão o troco.

    FONTE: http://blig.ig.com.br/cremilda/

  33. CIBELE LOPES CAMARGO 24 novembro, 2009 às 11:05 am

    Programa Magdalena
    19/11 – Desorganização à toda prova

    Desorganização à toda prova

    Não adiantou o governo paulista adiar em uma semana as provas do Saresp, sistema de avaliação do ensino estadual, por problemas no preparo das provas.

    O primeiro dia do exame revelou a distribuição de folhas de respostas incompatíveis com as provas de português e matemática, além de uma questão apresentada sem figura.

    Araraquara foi destaque na imprensa e em portais da internet com as questões de geografia misturadas com português.

    A secretaria da educação se limitou a dizer que o erro foi no empacotamento das provas e que são fatos ‘normais’.

    Num estado que aprova sem saber ler e escrever, entrega cartilhas com dois Paraguais, palavrões e outros erros grosseiros, tudo soa ‘normal’. (Álvaro Taniguti)

    fonte:http://www.radiomorada.com.br/Home/Default.aspx

    CIBELE LOPES CAMARGO

  34. VLADIMIR DE OLIVEIRA LIMA 25 novembro, 2009 às 9:20 am

    Dois gritando

    Seminário no GLOBO vai discutir corrupção.
    Será que vão discutir sobre:
    As Notas Fiscais “frias” nas escolas públicas?, assunto levantado pelo EducaFórum há mais de um ano, com provas e testemunhos válidos, mas absolutamente ignorado pela mídia. http://educaforum.blogspot.com/

    Desde o dia do seu lançamento, em 20 de setembro, o site da campanha “Nós e você, já são dois gritando” – na qual os leitores do GLOBO conversam sobre os principais problemas da sociedade brasileira – tem na corrupção o seu tema mais concorrido. Dos mais de 40 tópicos abertos para discussão pública no site, a preocupação com a má administração de verbas públicas, os privilégios do poder e as extorsões comuns ao dia a dia das nossas grandes cidades é de longe o assunto mais debatido do fórum, com milhares de comentários, reclamações e propostas. Exatamente por isso, corrupção foi o tema escolhido para trazer o debate do meio digital para o mundo real, num encontro que vai reunir, no auditório do GLOBO, políticos, cidadãos, jornalistas e representantes de ONGs que atuam no combate ao problema.

    O evento ‘Corrupção – o debate’ ocorrerá na próxima segunda-feira, dia 30, às 10h, e terá a presença do senador Pedro Simon (PMDB/RS); do diretor-executivo da ONG Transparência Brasil Cláudio Abramo; da coordenadora da ONG Voto Consciente Rosângela Giembinsky e da socióloga Maria Apparecida Fenizola, vice-presidente do Instituto de Desenvolvimento de Estudos Políticos e Sociais, e líder de um movimento de cidadãos brasileiros contra a corrupção. A mediação do debate será feita pelo jornalista Merval Pereira, colunista do GLOBO. O evento será gratuito, e os debatedores responderão também a perguntas do público presente e de outros colunistas do GLOBO, feitas pela internet. Miriam Leitão, Ancelmo Gois e Flávia Oliveira já deixaram suas perguntas. O auditório do jornal fica na Rua Irineu Marinho, 35, e tem capacidade para 200 lugares. Será proibida a entrada trajando bermuda, chinelo e camiseta sem manga.

    Debate pretende aprofundar busca por soluções

    Para muitos, as origens da corrupção no Brasil remontam aos primórdios da formação da sociedade brasileira, ainda no período colonial. Porém, mais do que discutir as causas, o objetivo de proponentes e participantes do encontro é ajudar a construir soluções. Uma delas, na opinião do senador Pedro Simon, é o combate à impunidade. Para o senador – que desde os anos 80 tenta levar para dentro do Congresso um debate claro e transparente sobre a questão em todas as esferas do poder público -, o Brasil ainda vive uma vergonhosa realidade nessa área: aqui, ainda, só os pobres são presos.


    O problema do Brasil é que só ladrão de galinha vai para a cadeia. O resto, político e empresário, paga um bom advogado

    - O problema do Brasil é que só ladrão de galinha vai para a cadeia. O resto, político e empresário, paga um bom advogado. E não é para defendê-lo, mas para postergar ao máximo o processo. Para empurrar com a barriga e cair no decurso de prazo. Recorre aqui e ali, e assim vai – diz Simon.

    O senador reconhece que o maior grau de corrupção ainda ocorre na classe política, mas preocupa-se também com o avanço da questão em outras áreas da sociedade.

    - O Congresso Nacional vive um momento muito triste, mas infelizmente a corrupção tem evoluído também no dia a dia das pessoas. É motorista pagando propina para o guarda, outro dando dinheiro para furar fila. E ainda vem o Lula, na maior cara-de-pau, querendo que o Tribunal de Contas da União (TCU) fiscalize apenas obras prontas e acabadas – afirmou o senador, que há nove anos se notabilizou por assumir votos de pobreza junto à Ordem Terceira de São Francisco.

    Para Cláudio Abramo, da ONG Transparência Brasil, a chave do problema pode estar na reforma política. Segundo ele, brechas na lei, fiscalização ineficiente e uma estrutura administrativa mais focada nos interesses partidários estão minando, há décadas, a qualidade do serviço prestado pela classe política brasileira.


    Para combater a corrupção, tem que mexer na lei para reduzir o número de indicações arbitrárias no poder Executivo

    - A Constituição permite, por exemplo, que chefes do Executivo façam nomeações para cargos de confiança. Na maior parte das vezes, essas vagas são negociadas com os partidos políticos para sustentar a base de apoio do governo. Assim, o poder público, que deveriam servir à população, passa imediatamente a estar a serviço das organizações políticas interessadas. Para combater a corrupção, tem que mexer na lei para reduzir o número de indicações arbitrárias – diz Abramo, numa avaliação

    Passividade diante do problema também assusta

    Além das constatações técnicas, históricas e culturais de Abramo e Simon, um aspecto que tem sido muito abordado pelos participantes do fórum da campanha “Nós e você. Já são dois gritando” – e que por isso também será debatido no auditório do GLOBO – é a suposta passividade dos brasileiros frente ao problema da corrupção. Depois das reclamações contra políticos e das denúncias de casos de corrupção em instituições públicas, os comentários lamentando a naturalidade com que o brasileiro lida com a cultura da extorsão no seu dia a dia.


    Muita gente acha normal molhar a mão do guarda para não ser multada. Se continuarmos aceitando isso, seremos sempre corruptos também

    “Muita gente acha normal molhar a mão do guarda para não ser multada. Outros acham natural comprar ingressos promocionais – aqueles com a inscrição ‘venda proibida’ – na mão de um cambista só para não enfrentar fila na bilheteria. Por outro lado, em vez de chamar a polícia, quase todo mundo aceita passivamente a extorsão do flanelinha, para não ter o carro arranhado… Sei que é difícil fugir desse círculo vicioso, mas se continuarmos aceitando tudo isso, seremos sempre um pouco corruptos também”, opinou o leitor Reinaldo de Andrade, em sua participação no fórum.

    O pensamento reflete o que pensa outra convidada para o debate de segunda-feira: a professora Rosângela Giembinsky, coordenadora da ONG Movimento Vote Consciente, criada em 1987 e hoje presente em mais de 200 cidades brasileiras. Para ela, o combate à corrupção passa necessariamente pela mobilização social.

    - A corrupção só é concretamente combatida quando todos nós buscamos participar de todos os mecanismos sociais à nossa disposição. É preciso atuar mais nas organizações sociais, desde a associação de moradores até entidades de classe. Temos que influir nas decisões sobre os problemas que nos afetam. Não podemos deixar essa obrigação para os outros decidirem por nós – diz Rosângela.

    Debata corrupção e envie sua pergunta para o debate do dia 30 no site da campanha ‘Dois Gritando’

    Debatam muito e também a corrupção nas escolas públicas estaduais de Araraquara – SP.
    Vladimir.

  35. VLADIMIR DE OLIVEIRA LIMA 25 novembro, 2009 às 9:20 am

    Dois gritando

    Seminário no GLOBO vai discutir corrupção.
    Será que vão discutir sobre:
    As Notas Fiscais “frias” nas escolas públicas?, assunto levantado pelo EducaFórum há mais de um ano, com provas e testemunhos válidos, mas absolutamente ignorado pela mídia. http://educaforum.blogspot.com/

    Desde o dia do seu lançamento, em 20 de setembro, o site da campanha “Nós e você, já são dois gritando” – na qual os leitores do GLOBO conversam sobre os principais problemas da sociedade brasileira – tem na corrupção o seu tema mais concorrido. Dos mais de 40 tópicos abertos para discussão pública no site, a preocupação com a má administração de verbas públicas, os privilégios do poder e as extorsões comuns ao dia a dia das nossas grandes cidades é de longe o assunto mais debatido do fórum, com milhares de comentários, reclamações e propostas. Exatamente por isso, corrupção foi o tema escolhido para trazer o debate do meio digital para o mundo real, num encontro que vai reunir, no auditório do GLOBO, políticos, cidadãos, jornalistas e representantes de ONGs que atuam no combate ao problema.

    O evento ‘Corrupção – o debate’ ocorrerá na próxima segunda-feira, dia 30, às 10h, e terá a presença do senador Pedro Simon (PMDB/RS); do diretor-executivo da ONG Transparência Brasil Cláudio Abramo; da coordenadora da ONG Voto Consciente Rosângela Giembinsky e da socióloga Maria Apparecida Fenizola, vice-presidente do Instituto de Desenvolvimento de Estudos Políticos e Sociais, e líder de um movimento de cidadãos brasileiros contra a corrupção. A mediação do debate será feita pelo jornalista Merval Pereira, colunista do GLOBO. O evento será gratuito, e os debatedores responderão também a perguntas do público presente e de outros colunistas do GLOBO, feitas pela internet. Miriam Leitão, Ancelmo Gois e Flávia Oliveira já deixaram suas perguntas. O auditório do jornal fica na Rua Irineu Marinho, 35, e tem capacidade para 200 lugares. Será proibida a entrada trajando bermuda, chinelo e camiseta sem manga.

    Debate pretende aprofundar busca por soluções

    Para muitos, as origens da corrupção no Brasil remontam aos primórdios da formação da sociedade brasileira, ainda no período colonial. Porém, mais do que discutir as causas, o objetivo de proponentes e participantes do encontro é ajudar a construir soluções. Uma delas, na opinião do senador Pedro Simon, é o combate à impunidade. Para o senador – que desde os anos 80 tenta levar para dentro do Congresso um debate claro e transparente sobre a questão em todas as esferas do poder público -, o Brasil ainda vive uma vergonhosa realidade nessa área: aqui, ainda, só os pobres são presos.


    O problema do Brasil é que só ladrão de galinha vai para a cadeia. O resto, político e empresário, paga um bom advogado

    - O problema do Brasil é que só ladrão de galinha vai para a cadeia. O resto, político e empresário, paga um bom advogado. E não é para defendê-lo, mas para postergar ao máximo o processo. Para empurrar com a barriga e cair no decurso de prazo. Recorre aqui e ali, e assim vai – diz Simon.

    O senador reconhece que o maior grau de corrupção ainda ocorre na classe política, mas preocupa-se também com o avanço da questão em outras áreas da sociedade.

    - O Congresso Nacional vive um momento muito triste, mas infelizmente a corrupção tem evoluído também no dia a dia das pessoas. É motorista pagando propina para o guarda, outro dando dinheiro para furar fila. E ainda vem o Lula, na maior cara-de-pau, querendo que o Tribunal de Contas da União (TCU) fiscalize apenas obras prontas e acabadas – afirmou o senador, que há nove anos se notabilizou por assumir votos de pobreza junto à Ordem Terceira de São Francisco.

    Para Cláudio Abramo, da ONG Transparência Brasil, a chave do problema pode estar na reforma política. Segundo ele, brechas na lei, fiscalização ineficiente e uma estrutura administrativa mais focada nos interesses partidários estão minando, há décadas, a qualidade do serviço prestado pela classe política brasileira.


    Para combater a corrupção, tem que mexer na lei para reduzir o número de indicações arbitrárias no poder Executivo

    - A Constituição permite, por exemplo, que chefes do Executivo façam nomeações para cargos de confiança. Na maior parte das vezes, essas vagas são negociadas com os partidos políticos para sustentar a base de apoio do governo. Assim, o poder público, que deveriam servir à população, passa imediatamente a estar a serviço das organizações políticas interessadas. Para combater a corrupção, tem que mexer na lei para reduzir o número de indicações arbitrárias – diz Abramo, numa avaliação

    Passividade diante do problema também assusta

    Além das constatações técnicas, históricas e culturais de Abramo e Simon, um aspecto que tem sido muito abordado pelos participantes do fórum da campanha “Nós e você. Já são dois gritando” – e que por isso também será debatido no auditório do GLOBO – é a suposta passividade dos brasileiros frente ao problema da corrupção. Depois das reclamações contra políticos e das denúncias de casos de corrupção em instituições públicas, os comentários lamentando a naturalidade com que o brasileiro lida com a cultura da extorsão no seu dia a dia.


    Muita gente acha normal molhar a mão do guarda para não ser multada. Se continuarmos aceitando isso, seremos sempre corruptos também

    “Muita gente acha normal molhar a mão do guarda para não ser multada. Outros acham natural comprar ingressos promocionais – aqueles com a inscrição ‘venda proibida’ – na mão de um cambista só para não enfrentar fila na bilheteria. Por outro lado, em vez de chamar a polícia, quase todo mundo aceita passivamente a extorsão do flanelinha, para não ter o carro arranhado… Sei que é difícil fugir desse círculo vicioso, mas se continuarmos aceitando tudo isso, seremos sempre um pouco corruptos também”, opinou o leitor Reinaldo de Andrade, em sua participação no fórum.

    O pensamento reflete o que pensa outra convidada para o debate de segunda-feira: a professora Rosângela Giembinsky, coordenadora da ONG Movimento Vote Consciente, criada em 1987 e hoje presente em mais de 200 cidades brasileiras. Para ela, o combate à corrupção passa necessariamente pela mobilização social.

    - A corrupção só é concretamente combatida quando todos nós buscamos participar de todos os mecanismos sociais à nossa disposição. É preciso atuar mais nas organizações sociais, desde a associação de moradores até entidades de classe. Temos que influir nas decisões sobre os problemas que nos afetam. Não podemos deixar essa obrigação para os outros decidirem por nós – diz Rosângela.

    Debata corrupção e envie sua pergunta para o debate do dia 30 no site da campanha ‘Dois Gritando’

    Debatam muito e também a corrupção nas escolas públicas estaduais de Araraquara – SP.
    Vladimir.

  36. EGLANTINE LIBERATO 27 novembro, 2009 às 11:00 am

    Até tu, Beneditus?
    Durou pouco a esperança de que havia alguém na Secretaria de Educação de SP preocupado com os alunos…
    O coordenador José Benedito, da COGSP (coordenadoria de Ensino da Grande SP), ficou ao lado da diretora da EE Profª Aparecida Donizete de Paula (Diadema-SP)… ficou ao lado da diretora que desrespeitou as determinações da COGSP… ficou ao lado de quem humilhou e expulsou uma aluna da escola por ela estar sem o uniforme escolar…

    A reunião havia sido marcada para cobrar procedimentos da COGSP. Mas o que se viu foi uma vergonhosa defesa corporativa de direções escolares que desrespeitam as leis e que nem mesmo garantem a presença de inspetores de alunos para impedir o “vandalismo” nas escolas (caso da EE Professor Francisco de Paula Conceição, zona sul da Capital). Aliás, a preocupação do sr. José Benedito era em como agradar às bonequinhas playmobil da TV Globo, que lhe cobravam a expulsão de alunos…

    As advogadas de defesa das professorinhas
    Estavam presentes na reunião: Giulia Pierro – EducaFórum, Cemilda – NAPA, Manoel Tertuliano – Fórum Regional da Criança e do Adolescente do Marsilac, e eu (Mauro A. Silva – Movimento COEP)… Embora a reunião estivesse marcada para as 15h, até as 15h29 o sr. José Benedito não havia comparecido… A reunião começou com 15 minutos de atraso, e com uma professora fazendo a defesa da diretora EE Profª Aparecida Donizete de Paula… ao invés de ser feita a defesa das instituições e das leis, essa professora apresentava “justificativas” para a diretora ilegalmente cobrar o uso de uniformes e expulsar a aluna… quando esta professora disse que a diretora era “excelente”, eu (Mauro) levantei-me e declarei que não tinha paciência para ficar ouvindo baboseiras do tipo “diretora é linda e maravilhosa”, pois isto não é critério para avaliar a atuação de um profissional e que o caso era para avaliar procedimentos determinados pela própria COGSP. como a professora insistia em fazer a defesa prévia da diretora, informei a todos que o meu objetivo era cobra a (i)legalidade da “Cartilha dos Corvos” e fui embora.

    Por que será que os servidores da Educação não respeitam as leis?
    A reunião ficou muito pior depois que eu saí. Parece que um dirigente da diretoria de Ensino Sul 3, uma das mais denunciadas, teria dito que não haveria nenhuma punição contra direções escolares denunciadas… também teria chegado ao absurdo de chamar de “racistas” (sic) as denúncias feitas pela Cremilda… Tamanha ignorância só pode partir de quem não conhece a historia da Cremilda e de quem também tenha a certeza da impunidade que vigora na Secretaria de Educação de SP…
    O sr. José Benedito teria dito que não mais protocolaria (não receberia) os documentos encaminhados pelo Manoel Tertuliano, do Fórum Regional dos direitos da Criança e do Adolescente do Marsilac…
    Será que os servidores da Educação de SP desconhecem a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente (lei 8039/1990)? Será que eles não sabem que criança e adolescente são prioridades absolutas? Será que eles não sabem que as leis determinam punições contra quem causa constrangimento, humilhação, negligência, maus tratos e torturas contra crianças e adolescentes?
    Ou será que a certeza da impunidade faz com que os violadores dos direitos das crianças continuem atuando livremente nas escolas públicas?
    Uma simples leitura da lei estadual 3913/1983 (proíbe a cobrança de taxas e proíbe obrigar o uso de uniforme) e da lei estadual 10.294/1999 (Proteção e Defesa do Usuário de Serviços Públicos) já seria suficiente para abrir milhares de sindicâncias e punir milhares de funcionários, professores e direções escolares que diariamente violam os direitos dos alunos da escola pública

    Traição contra 5 milhões de alunos
    Em 2007, o governador José Serra qualificou de “crime e chantagem” a prática de direções escolares que cobram as ilegais taxas até mesmo sob o falso argumento de que o governo não mandaria verbas para as escolas… A Secretaria de Educação mandou investigar e punir todas as escolas que praticavam estes atos ilegais…
    Agora, ao ficar ao lado “do crime e da chantagem”, o sr. José Benedito não estaria traindo a confiança do secretário Paulo Renato e do governador José Serra?

    Orientação geral aos alunos, pais e comunidade:
    Continuem protocolando cada uma das denúncias na COGSP, pois a lei estadual 10.294/1999 garante este direito e obriga o órgão público a tomar providências e responder ao “usuário do serviço público” em até 30 dias, sendo que o “processo administrativo” não deveria durar mais do que 60 dias úteis… O descumprimento de prazos e procedimentos sujeita a autoridade a “sanções previstas no Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado de São Paulo e nos regulamentos das entidades da Administração indireta e fundacional, sem prejuízo de outras de natureza administrativa, civil ou penal” (artigo 29 da lei estadual 10.294/1999).
    Também sugerimos que as denúncias sejam protocoladas na sede do Governo de SP, de tal forma que o próprio governador José Serra acompanhe o andamento dos processos e seja co-responsabilizado quando houver impunidade.

    Leia mais aqui:
    Prof. Paulo Renato, Prof. José Benedito, isso é apuração preliminar??? (EducaFórum, 13/11/2009)

    Notas das escolas públicas no Idesp
    (Índice de Desenvolvimento da Educação de SP – varia de zero a dez)

    EE Profª Aparecida Donizete de Paula (Diadema-SP)
    4ª série do ensino fundamental: nota 4,27 (2007) – 4,44 (2008)

    EE Professor Francisco de Paula Conceição, zona sul da Capital
    4ª série do ensino fundamental: nota 2,49 (2007) – 2,43 (2008)
    8ª série do ensino fundamental: nota 1,83 (2007) – 1,61 (2008)
    3ª série do ensino médio: nota 0,88 (2007) – 0,92 (2008)
    Curiosidade:
    Esta escola tinha 160 alunos matriculados no 3º ano do ensino médio, mas apenas 111 alunos fizeram a prova do Saresp (sistema de Avaliação do Rendimento Escolar), prova esta cujas notas dos alunos servem para a nota da escola no Idesp e também serve para determinar o bônus dos professores!!!
    Será que a escola tem 49 alunos fantasmas?
    Ou será que estes alunos foram orientados a não fazerem a prova? ou para não baixar a média da escola? ou para não comprometer o bônus dos professores?
    Qual seria a real nota da escola se todos os 160 alunos fizessem a prova???
    Fonte:
    Blog – Cremilda.
    Abraços, EGLANTINE LIBERATO

  37. Antonio Carlos Soares 27 novembro, 2009 às 11:06 am

    E continua a Impunidade na diretoria de ensino de Araraquara e para isso relembramos o dia do Grito da Independência ou Morte!
    Semana da Pátria, cidadania e respeito, e o Dia do Grito dos Professores da Rede Pública Estadual, que são temas extremamente importantes e que deveriam estar na pauta das escolas de todo País. Infelizmente não é o que acontece.
    Sou professor há 20 anos, sempre buscando com meus esforços transmitir aos alunos, além dos conteúdos programáticos, os valores essenciais para que se viva plenamente a cidadania e o respeito mútuo entre todos. Mas, a cada dia, a cada aula, o desânimo, a desilusão, e a falta de incentivos acabam por nos dominar.

    Como transmitir algo a um aluno do século 21, onde a tecnologia predomina em tudo, e o professor ainda é aquele da lousa e do apagador do século passado? Numa escola que não oferece as mínimas condições de aprendizado, com carteiras arrebentadas, onde a sala de vídeo mais parece um depósito de entulhos sem as mínimas condições de uso. Aparelhos quebrados e danificados sem manutenção, onde não há mapas e nem funcionários suficientes para desenvolver as funções básicas.

    E aí, como ensinar noções de cidadania e civismo com esta falta de respeito do governo?

    Este é o Brasil real e independente?

    Que tristeza! Que descaso!

    A Escola que deveria dar exemplo, não o pode por falta de vontade de governantes mais interessados em vantagens pessoais e políticas em vésperas de eleição e que infelizmente não se preocupa com o educando, deixando-o à mercê de um ensino público de péssima qualidade atrás de países muito mais pobres que o nosso Brasil.
    A Educação neste País clama por atenção e mais investimentos públicos.
    Brava gente brasileira!
    VAMOS “GRITAR” JUNTOS BASTA A IMPUNIDADE!
    GOVERNO JOSÉ SERRA – BASTA DE DIRETORES CORRUPTOS, DIRIGENTES CORRUPTOS ATUANDO EM NOSSAS ESCOLAS, GRITAMOS CONTRA O ESQUEMA DE CORRUPÇÃO DE NOTAS FISCAIS FRIAS!!!
    CONTRA O ABAFA VAZAMENTO DO SARESP NA DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA!!
    GRITAMOS, GRITAMOS, TODOS JUNTOS.
    Antonio Carlos Soares, licenciado em História, Geografia e edagogia. Professor da Rede Pública Estadual. E-mail: geacso@ig.com.br

  38. Neire B. Barssatine dos Campos 16 dezembro, 2009 às 3:40 am

    SÃO PAULO – Uma aluna de uma escola estadual de Araraquara, 272 Km da capital paulista, é a única de sua turma que está repondo as aulas que foram adiadas por causa da nova gripe. A mãe da estudante apresentou uma denúncia à Promotoria da Infância e Juventude e ao Conselho Tutelar questionando a forma como a escola Bento de Abreu está realizando a reposição.

    Para cumprir o calendário de 200 dias letivos, os alunos deveriam ter aula até 22 de dezembro, mas, desde o começo do mês, G.H.F., de 15 anos, frequenta as aulas sozinha.

    - Depois do dia 1º os alunos pararam de vir, porque já tinham fechado as notas. É constrangedor vir sozinha. Não tem ninguém para vir – disse.

    Josélia Neves é mãe da adolescente e está acompanhando a rotina da filha para ter certeza de que as aulas estão sendo repostas.

    - Como a escola vai dar conta da sua tarefa formativa e do cumprimento dos 200 dias letivos se os alunos não estão comparecendo e se não está tendo aula? – reclamou. Inconformada, ela apresentou a denúncia e ainda aguarda providências.

    - A minha hipótese é que aulas fantasmas estão sendo registradas – disse.

    O Conselho Tutelar disse que pediu informações à diretoria de ensino, mas até agora não obteve resposta. A promotora da Infância e Juventude, Morgana Demétrio, disse que exigiu explicações à diretoria de ensino, que fez uma sindicância.

    A assessoria da Secretaria de Educação negou que haja irregularidades na escola. Ainda informou que os alunos estão recebendo faltas, mas não serão reprovados porque o índice está dentro do percentual permitido por lei.

    Outra agora de 15 anos, A.S., que está na turma de G. e diz que teve tempo suficiente para terminar as apostilas e fechar as notas, mesmo que não tenham sido cumpridas todas as aulas previstas no calendário escolar.

    - A gente já pegou o diploma e não tem necessidade de vir até o dia 22 – explicou.

  39. Neire B. Barssatine dos Campos 16 dezembro, 2009 às 3:41 am

    Adolescente repõe sozinha aulas adiadas por causa da gripe suína …15 Dez 2009 … Adolescente repõe sozinha aulas adiadas por causa da gripe suína em escola estadual de SP. EPTV. SÃO PAULO – Uma aluna de uma escola …
    extra.globo.com/…/adolescente-repoe-sozinha-aulas-adiadas-por-causa-da-gripe-suina-em-escola-estadual-de-sp-915214693.asp – 18 horas atrás

  40. CLEUSA MARIA FILLIPO DE ALBUQUERQUE 16 dezembro, 2009 às 4:00 am

    Polícia registra 53% mais ocorrências em escolas

    Mastrangelo Reino

    Na escola Antonio dos Santos, alunos depredaram carteiras, a lousa e arrancaram a cortina de uma das salas de aula

    Cláudio Dias – repórter da Tribuna

    O número de ocorrências policiais como brigas, desacatos, furtos e uso de drogas aumentou 53,8% nas escolas públicas tanto municipais quanto estaduais em Araraquara. De 1o de janeiro até o dia de ontem, 28 de junho, a Polícia Militar contabilizou 80 ocorrências em escolas públicas da cidade, contra 52 em igual período do ano passado. Na maioria, os envolvidos são adolescentes de 12 a 15 anos. Autoridades e profissionais ligados à área educacional já mostram preocupação como excesso de episódios violentos.
    Levantamento feito pela reportagem da Tribuna nos registros do Serviço Especializado da Infância e Juventude (Seij) e da Polícia Civil (PC) mostra que os casos ocorrem em escolas de quase todos os bairros da cidade. Entretanto, um levantamento somente dos últimos dois meses, mostra que algumas unidades escolares como a Escola Estadual “Victor Lacorte”, no Carmo, “Léa de Freitas Monteiro”, na Vila Xavier, “Letícia de Godoy Bueno de Carvalho Lopes”, Jardim das Roseiras, e “Sérgio Pedro Esperanza”, no Parque São Paulo, mostraram ser as mais problemáticas, pelo menos na quantidade de casos registrados na polícia. A escola Letícia de Godoy registrou cinco ocorrências policias de janeiro a junho, enquanto as outras tiveram quatro casos registrados.
    De acordo com o acompanhamento, o primeiro registro deste ano aconteceu em 10 de fevereiro, logo depois do início das aulas. O último contabilizado pela reportagem foi ontem de manhã, na escola Antonio dos Santos, no Jardim das Estações, quando alunos quebraram parte da lousa e arrancaram a cortina de uma sala de aula.
    As ocorrências registradas em escolas da cidade representam 24% dos 334 casos envolvendo menores em Araraquara, no primeiro semestre de 2005. No ano passado, as ocorrências em escolas representavam 16,5% dos 324 casos policiais com a participação de menores na cidade.
    A maioria dos casos, segundo o acompanhamento, mostrou brigas dentro de escolas envolvendo alunos. Um número grande também teve a presença de meninas que brigam quase sempre por causa de namorados. Outros registros envolvem desacatos de estudantes a policiais, diretores e professores das escolas. Além disso, também há casos de fugas das escolas e atos de vandalismo como quebrar uma lousa ou jogar uma bomba no banheiro. (Veja no quadro as principais ocorrências registradas no mês de junho)
    Apesar disso, a diretora de Ensino, Maria Santana Gagliazzi , acredita que a situação não esteja fora de controle. Para ela, a maioria dos casos de indisciplina e vandalismo nas escolas que chegam até a polícia poderia ser administrada internamente ou apenas em uma conversa no Conselho Tutelar.
    Sandra diz estar apurando um caso ocorrido em escola que terminou com o registro de quatro Boletins de Ocorrência. Segundo ela, todos os envolvidos foram professores e diretores de duas escolas que poderiam ter resolvido o problema internamente. Sobre as brigas nas escolas, a diretora também crê que falta limite aos alunos. Para tentar minimizar a situação, a dirigente de ensino diz que deve marcar uma reunião com professores e conselheiros para discutir o tema. “Se o diretor e o professor for ausente, as rédeas serão soltas e aí perderemos o controle.”

    Para conselhos tutelares falta limite

    As opiniões dos dois coordenadores dos Conselhos Tutelares I e II de Araraquara são convergentes: falta limite aos estudantes dentro das escolas. O coordenador do Conselho II, João Luís Esteves, acha que isso precisa ser mudado com disciplina. “Quando vemos um menor fazer um ato de destruição, precisamos descobrir o que está errado, porque ou o menor tem um desvio de comportamento ou a família está desestruturada”, diz.
    Ele conta que teve acesso a um caso, na semana passada, em que uma criança bateu em outra dentro da escola. O resultado disso terminou na polícia, pois a menina precisou levar pontos na orelha em virtude da agressão. “Eu só fiquei sabendo disso por acaso, porque ninguém nos avisou. Se fosse uma criança que tivesse ofendido ao professor, com certeza o Conselho seria chamado.”
    Já o conselheiro e coordenador do Conselho I, Marcos Antônio Magrini, acredita que o problema está no programa pedagógico que não está adequado ao adolescente atual, além da superlotação das salas de aulas. “Além disso, os pais não participam das reuniões.” Os conselheiros já conversaram com alguns pais sobre a indisciplina nas escolas, mas, segundo Magrini, na maioria das vezes eles nem têm conhecimento do problema dos filhos. “Tem que ter pulso firme em relação aos alunos, caso contrário, a coisa ficará pior.” (Cláudio Dias)

    Juiz vê problema como preocupante

    O juiz titular da Vara da Infância e Juventude, Silvio de Moura Salles, acredita que existem vários fatores para os problemas dentro das escolas, entre eles, estão os sociais, econômicos e familiares, que podem levar ações de fora para dentro das classes de aulas. Apesar disso, o juiz afirma que os números são preocupantes na medida em que a escola tem o papel de formação e não de ser palco de agressões e casos policiais.
    Salles ainda vê um lado positivo nos registros seguidos, pois, segundo ele, colocam o assunto em discussão e fazem com que as pessoas interessadas debatam e tentem resolver o problema. Em relação à falta de limite dos estudantes, o juiz comenta que primeiro é preciso saber com que tipo de aluno a escola está lidando para, depois, tentar controlá-lo. (Cláudio Dias)

    PM diz garantir segurança no perímetro

    Com duas viaturas de “Ronda Escolar” trabalhando das 7 às 23 horas todos os dias na área da 1a Companhia de Policiamento Militar, o comandante desta parte da cidade, onde fica a Escola Victor Lacorte, capitão José Roberto Malaspina, diz que no âmbito externo os policiais conseguem garantir a segurança dos alunos porque percorrem todas as unidades estaduais e municipais, conforme programação estratégica.
    “A nossa obrigação é cuidar do lado de fora das escolas. O que acontece lá dentro deve ser administrado pela direção.” O capitão afirma saber que em alguns lugares os alunos estão dando trabalho aos professores, por isso, quando for necessário, o policiamento será reforçado. “Se for preciso, o policial entrará na escola e pegará o aluno que estiver cometendo um crime.” (Cláudio Dias)

    Ladrão furta bolas em escola

    Na madrugada de ontem, depois de arrombarem o forro da Escola Estadual “João Manoel do Amaral”, na Vila Ferroviária, região central de Araraquara, ladrões invadiram a sala dos professores, foram até a biblioteca e furtaram dez bolas de futebol, vôlei e handebol dos alunos. A polícia foi chamada e registrou a ocorrência. A escola é uma das mais utilizadas nos finais de semana pelo projeto do governo estadual “Escola da Família”. (Cláudio Dias)

  41. REGINADO CARLOS HIPPOLITO 16 dezembro, 2009 às 7:07 am

    Aqui se faz, aqui se paga;

    “Se houver a mobilização da opinião pública”…

    “Muito se discute a violência que se tornaram os processos administrativos da SEE-SP “descaso”, devemos cobrar da dos sindicatos “todos”, não só no Brasil, mas no mundo todo, em que episódios de violência e impunidade, cada vez maior, são apresentados e publicados veladamente a todos os dias. Aparentemente, a população vem se acostumando à esta neoviolência reinante e não mais reage a esses atos, fingindo não ver, deixando acontecer com os outros, sempre imaginando que conosco jamais aconteceria. Não é exatamente o que vem acontecendo. Ao que parece os cidadãos estão mais conscientes e reagem a atos de violência, infelizmente, com atos de violência maior ainda, com se vê do que aconteceu nesse processo administrativo de ….
    E maiores violencias virão quando os dezoito diretores de escola de Araraquara forem julgados e sairem impunes, ou com punição abrandada, pelos protetores do esquema. Mas aqui se faz aqui se paga…
    Abraços.
    “Se houver a mobilização da opinião pública”…
    REGINADO CARLOS HIPPOLITO

  42. RICARDO GILBERTO CASTANHO MERCALDI 16 dezembro, 2009 às 7:10 am

    No mundo todo e, em especial, no Brasil o que se vê é o caos sendo implantado em razão da não concretização da justiça. E o mundo começa a caminhar às avessas, tomando direções perturbadoras para a paz e para a convivência entre os povos. Não seria caso de responder afirmativamente a indagação de Eduardo Galeano: “Si el mundo está, como ahora está, patas arriba, ¿no habría que darle vuelta, para que pueda pararse sobre sus pies?”.
    A SEE-SP, vai ter que mostrar muito mais “moralidade” no governo em SP – PSDB, do que os anos em que Lula vem governando este país.
    A começar por licitações , desvios de verbas das APMs, Diretoria de ensino de Araraquara,e outras…, mas as eleições estão próximas e muitos documentos muito bem guardados vão aparecer na hora certa.
    Até mais.
    RICARDO GILBERTO CASTANHO MERCALDI

  43. RUDYGE ALEX SCATOLINI BOLDRINI 16 dezembro, 2009 às 7:27 am

    Escolas corruptas e as *máfias do giz*
    A imprensa brasileira ignorou completamente o Seminário Internacional “Ética & Responsabilidade na Educação”, no qual a UNESCO apresentou um resumo do documento “Escolas corruptas, universidades corruptas: o que fazer?” Pesquisas recentes sugerem que perda de fundos entre os ministérios de educação e as escolas podem representar praticamente 80% do total do orçamento aprovado (despesas não-salariais), em alguns países. Subornos e recompensas indevidas a funcionários para obtenção de favores no recrutamento e promoção de professores tendem a baixar a qualidade destes na escola pública; pagamentos ilegais para a entrada na escola e outros custos escondidos ajudam a explicar os baixos níveis de matrícula e as altas taxas de abandono escolar. Ao mesmo tempo, educação ética é um aspecto central na prevenção da corrupção por promover atitudes que não toleram corrupção entre as novas gerações. No entanto, só educação ética não é suficiente num contexto em que prevalece uma gestão sem ética do setor de educação.

    A grande imprensa tem ignorado completamente as graves denúncias de corrupção na Diretoria de Ensino de Araraquara-SP…
    A grande imprensa não tem cobrado investigação e punição das fraudes nos atestados médicos para licença de professores…
    A grande imprensa abandonou as investigações de cobranças ilegais de taxas nas escolas públicas…

    “A corrupção é o fator que pesa mais negativamente no uso dos recursos para a educação e deve ser drasticamente reduzida”.
    (Comitê de redação do Fórum Mundial de Educação, Dacar/2000)
    Agora, na presente data, temos a denúncia do próprio sindicato de professores denunciando práticas criminosas de algumas diretorias de ensino:
    “Na última terça-feira, a Apeoesp moveu uma ação civil pública contra o Estado, alegando irregularidades na avaliação. De acordo com a entidade, algumas diretorias de ensino vazaram o gabarito e alguns educadores foram surpreendidos com as respostas ao fim da prova.” (”Justiça suspende prova de professor temporário”, jornal Diário de São Paulo.
    O sindicato quer, a todo custo, evitar que os professores “temporários” sejam avaliados por provas de conhecimento… O sindicato “atirou no que viu”, mas acertou no que não queria que os outros vissem: as práticas criminosas nas diretorias de ensino… vazar o conteúdo das provas é uma forma de garantir que os “apaniguados” continuem atuando nas escolas públicas…

    O governador José Serra poderia aproveitar esta “ação judicial da Apeoesp” e fazer uma “limpeza geral” nas diretorias de ensino… E, para não ficar refém das corporações e nem das “máfias-do-giz”, o governador bem que poderia garantir uma efetiva participação dos alunos, pais e comunidade no controle social sobre as escolas públicas.

    RUDYGE ALEX SCATOLINI BOLDRINI

  44. Ariane Nascimento Racco 26 dezembro, 2009 às 12:47 am

    Conclusões e Sugestões sobre o esquema de corrupção nas escolas públicas estaduais de Araraquara
    Repassei vários artigos que lidam sobre o tema de
    corrupção. Pude constatar que a teoria microeconômica que explica o comportamento dos
    caçadores-de-renda, aliada à fraqueza de instituições governamentais, é terreno fértil para a
    corrupção. Para inibir as atividades ilegais dos rent-seekers, o melhor remédio apontado pela
    literatura científica é o fortalecimento das instituições. No curto prazo, podem-se adotar ações
    que melhorem a transparência das instituições e, no longo prazo, a melhoria da educação pública
    irá se refletir numa maior cobrança sobre as instituições governamentais por parte da sociedade
    civil. Esses dois vetores são capazes de fortalecer gradativamente as instituições
    governamentais, alijando atividades predadoras dos caçadores-de-renda.
    A revisão da literatura científica também foi útil para afastar vários mitos que rodeiam o
    tema, como o papel da desigualdade econômica, tamanho do estado, políticas neoliberais, capital
    humano, entre outros.
    O panorama da corrupção no Brasil é semelhante ao de vários países, conforme
    constatado pela ONG Transparency International. Isto sugere que nossas instituições não estão
    à beira do colapso, que a corrupção é um problema possível de ser enfrentado e que o governo
    brasileiro não está sozinho em sua luta, sendo razoável utilizar experiências internacionais neste
    combate. É recomendado que o governo enfrente com energia as tentativas de se coibir uma
    imprensa atuante, especialmente a nível regional, pois a cobrança da sociedade civil é
    instrumento legítimo e eficaz no combate à corrupção.
    Na seara governamental, há várias medidas bastante promissoras e em linha com as
    prescrições científicas mais recentes no combate à corrupção. A Controladoria-Geral da União
    dá excelente transparência a suas iniciativas de fiscalização e auditoria, pondo à disposição dos
    cidadãos brasileiros uma vasta gama de informações e dados que podem ser utilizados pela
    sociedade civil em iniciativas de controle regional, sobre estados e municípios. O Portal da
    Transparência é outra medida que pode revolucionar o controle social das iniciativas públicas no
    Brasil, pois todos os programas governamentais são contemplados, num nível de detalhe muito
    alto, permitindo a cobrança direta sobre as prefeituras da destinação das verbas repassadas pelo
    governo federal.
    Espera-se que o exemplo do governo federal se dissemine pela administração pública
    brasileira, com estados e municípios fornecendo informações detalhadas sobre seus gastos pela
    Internet. É de particular importância que esta transparência se dê nos maiores estados e
    municípios, onde o volume de recursos e de cidadãos beneficiados é maior. Vale lembrar

    também que medidas de incentivo à educação, sem a contrapartida da transparência das
    instituições, podem ter efeitos contrários ao esperado (Ahrend, 2002).
    Em síntese, transparência e educação são instrumentais para garantir o fortalecimento das
    instituições e a queda da corrupção. Várias iniciativas da sociedade civil e do governo federal
    estão em alinhadas com o aumento da transparência e, com o passar do tempo, instituições
    governamentais fortalecidas não serão presa fácil dos caçadores-de-renda, tornado a sociedade
    brasileira menos corrupta e mais justa.
    Falta transparencia e vontade politica do governador Serra para por fim a impunidade na educação de araraquara.
    Ariane Nascimento Racco

  45. Alberto Santos Cunha 26 dezembro, 2009 às 12:53 pm

    DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA E A CORRUPÇÃO
    O desvio e a má gestão dos recursos repassados para as escolas públicas brasileiras e em especial as jrisdicionadas a DE de Araraquara – SP têm gerado efeitos colaterais danosos para alunos e professores, além de prejudicar diretamente o potencial de crescimento econômico do País.

    A conclusão é de um estudo desenvolvido por economistas da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio), Universidade de Berkeley (EUA) e do Banco Mundial.

    Cláudio Ferraz, Frederico Finan e Diana Moreira analisaram o resultado da auditoria dos gastos de 365 municípios feita pela Controladoria Geral da União (CGU), entre 2001 e 2004. Depois, cruzaram esses dados com o resultado obtido na Prova Brasil pelos alunos da 4ª série (5º ano) do ensino fundamental das 1.488 escolas públicas existentes nos municípios analisados.

    A Prova Brasil é uma avaliação do Ministério da Educação (MEC) que mede o desempenho em língua portuguesa e matemática de alunos da 4ª e da 8ª séries (5º e 9º anos) de escolas públicas.

    Os pesquisadores perceberam que a nota dos alunos que estudavam nos municípios onde houve mau uso ou desvio de recursos foi menor do que a dos estudantes das outras localidades. A diferença foi, em média, de 15 pontos – a nota vai de 0 a 500.

    O estudo também mostrou que não há relação direta entre grandes quantias de dinheiro repassadas pelo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) – atual Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) – aos municípios e a excelência no ensino. O valor do Fundef era calculado segundo o número de alunos matriculados na rede.

    “Se você tem muita corrupção e o dinheiro é mal gasto, isso explica, em parte, porque gastar muito não está associado com a melhora do desempenho em provas internacionais”, diz Cláudio Ferraz, professor assistente do Departamento de Economia da PUC-Rio e um dos autores do estudo, citando a classificação dos alunos brasileiros no Pisa, um exame internacional. Em 2006, o Brasil ficou em 54º lugar entre os 57 países avaliados em matemática e em 49º entre 56 países na avaliação sobre capacidade de leitura.
    Alberto Santos Cunha

  46. Adélia de Lucca Fontes 26 dezembro, 2009 às 12:57 pm

    Corrupção nas escolas públicas estaduais de Araraquara é palavra que voga na atualidade. A história brasileira é repleta de exemplos. Porém muitos períodos, foi “proibido” falar e apurar a corrupção. Ela não é prática só das elites dirigentes. A palavra corrupção em sua definição, expressa a oposição, a negação daqueles valores que consideramos, ou pelo menos deveríamos considerar como sustentáculos do bom andamento das relações intrapessoais e sociais, que são necessárias para a realização humana. Corromper, portanto, é o ato pelo qual se adultera, se estraga algo físico ou moralmente. A repercussão é de maior ou menor amplitude, conforme a ação que se realiza. As causas são praticamente inesgotáveis, pois envolvem problemas estruturais, sociais e pessoais.
    A corrupção política, ou a corrupção na política de uma determinada sociedade deteriora as próprias estruturas da sociedade, uma vez que a política é o cuidado com o que é coletivo, de todos, é a busca de soluções para os problemas que a sociedade, uma vez que a política e o cuidado com o que é coletivo, de todos, é a busca de soluções para os problemas que a sociedade como um todo enfrenta. A corrupção na política é aproveitar-se, apropriar-se do que é coletivo, em benefício próprio. É roubar. Se os agentes públicos – os políticos – são corruptos, e/ou se associam a agentes privados corruptores, a saúde da sociedade corre sérios riscos. Faltando o respeito pelo que é de todos, prevalece no comportamento de cada um o vale tudo, o “levar vantagem” em tudo, o enganar para escapar ileso de eventuais punições.
    No Brasil, corrupção está espalhada pelos diferentes setores e níveis da atividade política: no executivo, no legislativo e no judiciário, do nível federal ao nível municipal. Paz parte também dos comportamentos das empresas privadas que trabalham para o governo em obras e serviços ou que dele defendem para autorizações e legislações de suas atividades.
    No legislativo e no executivo ela é pior do que no judiciário, porque estes poderes mexem diretamente com o dinheiro e com as legislações. Os legislativos costumam ser comparados com balcões de negócios. O executivo nacional já chegou até a criar mecanismos para a lavagem de dinheiro sujo, obtido com o narcotráfico ou com a corrupção – como as contas CC5 autorizadas pelo Banco do Brasil.
    A sociedade clama justiça, onde a maioria dos casos a impunidade torna-se aliada das empresas, das gangs, autoridades e maus funcionários, há quem diga que um terço do que se gasta nos governos se esvai pelos ralos da corrupção. Isto tudo é dinheiro coletivo que se perde, deixando de atender, com ele, uma grande quantidade de necessidades sociais.
    A exclusão social é resultado da lógica de funcionamento do sistema econômico vigente no país, orientando para a acumulação sem fim do capital. Este sistema é hegemônico, hoje no mundo inteiro e está levando à exclusão de cada vez mais populações e até países inteiros. Esse sistema se relaciona com a corrupção na medida em que na sociedade capitalista as pessoas não são vistas como cidadãos, mas como consumidores. Um cidadão tem direitos que a sociedade deve entender, tenha ele dinheiro ou não. Um consumidor terá suas necessidades se tiver suas necessidades para isso. A corrupção dá acesso ao dinheiro, mas a corrupção também agrava a exclusão, gerando empregos, prestando serviços ou construindo equipamentos coletivos necessários à elevação dos níveis de vida.
    Para mudar este quadro, em primeiro lugar é preciso que cada um de nós, na sua vida cotidiana, atue de forma limpa, pensando nos outros, alertando todos que pudermos para os males da corrupção e a verdadeira função do político, trabalhando para que sejam eleitas pessoas dignas de exercer mandatos políticos, denunciando toda improbidade que chegue ao nosso conhecimento, etc, isto é, tornando-se um agente de mudança pelo fim da corrupção. Ela só acabará com a pressão só ocorrerá se a sociedade uma repulsa à corrupção tão forte comojá se conseguiu fazer com a tortura. A tortura atinge u-a pessoa de cada vez. A corrupção oprime populações inteiras. Ambas são absolutamente inaceitáveis. Ambas podem matar. São crimes hediondos.
    Uma sociedade concentrada num complexo sistema de ralações sociais. Tais relações seguem objetivos políticos alimentados por projetos políticos que buscam construir modelos que vão instaurando um imaginário senso de pura honestidade, porém por trás há trocas de fatores absurdos onde dão cargo de confiança a pessoas que não tem nem sequer profissão relacionada ou compromissada com a educação que são: economistas outras que não tem nem o curso superior, supervisores, coordenadores que estão cumprindo mandatos dentro das escolas por causa da troca de favores com os políticos. Todos sabemos o porque desta realidade. Pois tais relações são aleatórias aos objetivos da instituição escolar. Cuja função é criar um ambiente alfabetizador voltado para o ensino e aprendizagem, e priorizar suas funções pedagógicas e sociais que é ensinar a ler e escrever e principalmente formar cidadãos críticos com olhos voltados para o crescimento profissional e social, pois quanto mais publica for a política, mais ela coíbe a corrupção, que é o câncer da política brasileira.
    Serra chega de impunidade!!!

  47. Renata Camara Dumont 26 dezembro, 2009 às 1:08 pm

    Brasil é o 75º país em ranking da corrupção, diz ONG
    São Paulo – O Brasil passou da 80ª para a 75ª posição no novo relatório anual da Transparência Internacional (TI) sobre corrupção. O País figura ao lado de Colômbia, Peru e Suriname, todos com nota 3,7. Apenas 51 dos 180 países avaliados pontuaram acima de 5. A Nova Zelândia ficou em 1º lugar, com nota 9,4, sendo considerado o país menos corrupto do mundo. As nações em que há conflitos armados em andamento continuam figurando como os mais corruptos. Somália, Afeganistão, Mianmar, Sudão e Iraque ocupam as piores posições no ranking, segundo o estudo, elaborado com base na percepção de corrupção no setor público em 180 países e em sondagens com empresários e especialistas. A nota da Somália foi 1,1 numa escala de zero a dez. “Esses resultados demonstram que os países percebidos como os mais corruptos são também aqueles afetados por antigos conflitos, que devastaram sua estrutura de governança”, diz nota divulgada pela entidade. “Quando instituições essenciais são fracas ou inexistentes, a corrupção sai de controle e o despojo dos recursos públicos alimenta a insegurança e a impunidade”, prossegue o comunicado. Na outra ponta, além da Nova Zelândia, Dinamarca (9,3), Cingapura (9,2), Suécia (9,2) e Suíça (9,0) figuram entre os países considerados menos corruptos, segundo o documento intitulado “Barômetro Global de Corrupção 2009″. A boa performance desses países é atribuída pela organização não-governamental “à estabilidade política, a controles efetivos sobre conflitos de interesse e a instituições públicas sólidas e funcionais”. Os Estados Unidos (7,5) caíram da 18ª posição em 2008 para a 19ª este ano. Citada no comunicado divulgado junto com o estudo, Huguette Labelle, diretora da TI, adverte que os pacotes de estímulo elaborados em meio à mais recente crise financeira internacional tornam “essencial a identificação dos pontos nos quais a corrupção impede a boa governança e a prestação de contas”.
    Renata Camara Dumont

  48. Vania Café Molhado 26 dezembro, 2009 às 1:11 pm

    um curto comentario; á séculos existe corrupção e nesse mesmo tempo existe educação e mesmo nos dias de hoje as pessoas ruman para corrupção, medicos incopetentes e por que não dizer assassinos e são bem formados. resumindo a educação continua muito falha, não podemos culpar só a familia ou o carater individual de cada um.continuam formando pessimos cidadãos.
    Vania Café

  49. Irani Gonçalves Paranhos 26 dezembro, 2009 às 1:12 pm

    gosto de ler as materias,penso que mais investimentos na area educacional que forma a consciencia do cidadão,deveria ser feita.
    Irani

  50. Priscila Meirelles Brandão 26 dezembro, 2009 às 1:18 pm

    sobre as denúncias de corrupção envolvendo agentes públicos do primeiro escalão da diretoria de ensino d eAraraquara SP, lamentamos “a crise ética moral que se abate sobre a diretoria de ensino”, citando o possível envolvimento dos diretores de escola, supervisores de ensino, dirigente de ensino e funcionários da diretoria no esquema de corrupção investigado pela polícia e pelo GAECO (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado, do Ministério Público) na operação “Caixa de 2 notas fiscais frias”.

    O blog da Giulia Pierro – encaminhou ofício ao GAECO requerendo que seja investigada eventual participação de deputados e politicos locais nesse esquema de corrupção.

    Esperamos que seja feita a tão esperada Justiça, obrigado amigo Glauco.
    Priscila Meirelles Brandão
    Enviem mensagem para o e-mail educaforum@hotmail.com

  51. Carlos Alberto Prantihjo de Shernc 26 dezembro, 2009 às 1:58 pm

    Desculpa situar-me meramente, para este fim, no plano académico. Mas isto parece aquele chorrilho de modelos com que o Sala-i-Matin anda a bater na cabeça das pessoas. Quando dizes “As consequências da corrupção generalizada são conhecidas: é socialmente injusta, reduz a produtividade do setor público e cria distorções na economia privada, levando a más afectações de recursos e reduções no investimento.” a tua afirmação sobre a produtividade é baseada em quê? Pode acontecer que por os países mais corruptos na Europa serem mediterrânicos, e os países mediterrânicos crescerem menos haja aí algum efeito de variável omitida? Como sabes o Barro e SiMartin chegaram a concluir que o confucionismo favorecia o crescimento da produtividade, simplesmente porque se esqueceram que os tigres asiáticos eram em geral confucionistas.
    Nota que isto não é a apologia da corrupção. Abomino-a tanto como qualquer pessoa bem formada. É mais um precisismo académico: como sabemos que estão a se incluídos controlos suficientes para que a corrupção não esteja a fazer as vezes do que outras coisas poderiam fazer?

    Carlos

  52. Flavia Cristina Ganza de Assunção 26 dezembro, 2009 às 2:00 pm

    De todo o texto, isso é a única coisa que o preocupa? Realmente o problema não é só com a imprensa, é também com os leitores. É pena, assim de certa forma acabamos por merecer o que temos.
    Flávia

  53. Celia Garcia Leite Martinhes 26 dezembro, 2009 às 2:02 pm

    Polícia: Anônimo do Twitter acusa PMs do Rio de irregularidades
    Um perfil anônimo na rede social Twitter está provocando polêmica na Polícia Militar fluminense. Batizado com o sugestivo nome Boca de Sabão – fofoqueiro, na gíria policial -, o microblog se destina, principalmente, a apontar desvios de conduta cometidos por PMs. O suposto envolvimento de oficiais e praças com milícia, jogo do bicho, bingo e o recebimento de propinas aparecem no exíguo espaço de 140 caracteres, como é a regra do site.

    Em seis meses de atuação, o Boca de Sabão arregimentou 1.200 seguidores – inclusive o Escritório das Nações Unidas para Crime e Drogas -, postou mais de 2 mil mensagens e provocou reações indignadas, como a do chefe do Estado Maior da PM, coronel Álvaro Garcia, que chamou de “covardes” blogueiros que “tentam macular” a imagem da PM.

    O Boca foi fundado por um grupo de oficiais, praças e “pessoas interessadas em segurança pública”, segundo um dos criadores do microblog em conversa com o Estado por um sistema de mensagens instantâneas. “Desde o primeiro momento nosso foco era denunciar irregularidades, sejam elas administrativas ou de responsabilidade (incompetência).”

    O e-mail denunciasproboca@gmail.com recebe cerca de dez mensagens por dia. Dessas, três são publicadas, depois de passar por uma espécie de checagem. Os criadores do perfil também são irreverentes: criaram o prêmio Ray Charles para o comandante “mais cegueta”, ou seja, que não enxerga a corrupção em seu batalhão.

    “O que há é uma corrupção institucionalizada, que vem desde o comandante do batalhão até o soldado na rua. Não são todos, mas o fato de os comandantes se envolverem contamina indiretamente o trabalho até dos policiais honestos, que são muitos”, afirma o criador do blog. “A corrupção na PM é simples, pois ironicamente segue os pilares de hierarquia e disciplina – um comandante honesto, só pela sua atitude, ou até sua fama, já dissuade bastante a corrupção em um batalhão.”

    O grupo já recebeu ameaças de morte pelo Twitter. Para garantir a segurança e escapar de punições dos superiores, posta as mensagens por telefone celular, para evitar ser rastreado. “Soubemos por fontes que trabalham dentro do quartel general que há uma caçada, sim, para nos identificar. Em verdade, não temos como saber se há algum procedimento de apuração aberto contra nós, porque pode estar correndo em sigilo.”

    O comandante geral da Polícia Militar, coronel Mário Sérgio Duarte, informou que a corregedoria da corporação não investiga nenhuma das denúncias feitas pelo perfil Boca de Sabão no Twitter. “A corregedoria realiza um sério trabalho de investigação sobre denúncias contra policiais, mas o denuncismo não fundamentado do perfil o invalida como fonte.” Duarte informou ainda que o perfil também não está sob investigação.

    O consultor de segurança Rodrigo Pimentel, ex-capitão do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e um dos roteiristas do filme Tropa de Elite, acha a iniciativa do Boca de Sabão válida, apesar de sofrer ataques dos criadores do microblog e criticar o anonimato do grupo. “É importante expor a corrupção policial. Há denúncias que fazem sentido e precisam ser investigadas. Eles já vinham falando da atuação do major Dilo (Dilo Pereira Soares) e o capitão Epaminondas (Epaminondas de Queiroz Medeiros) à frente da milícia de Rio das Pedras”, afirmou Pimentel, a respeito de policiais que tiveram a prisão decretada nesta semana e estão foragidos.

    Ele alerta, no entanto, para o fato de o perfil estar sendo usado na disputa de poder na PM. “É consenso hoje que o coronel Mário Sérgio Duarte é um oficial com histórico de honestidade e com competência para ficar à frente da Polícia Militar. Não faz sentido que seja atacado, a não ser que seja uma estratégia para desestabilizá-lo.”

    O coronel Paulo Ricardo Paúl, ex-corregedor da PM, também acredita em uso político do microblog. “A Polícia Militar está em processo de autofagia”, afirmou. Mas ele defende a apuração de todas as denúncias. “O Estado aceita denúncia anônima pelo Disque-Denúncia. Como a PM toma conhecimento de um fato por Twitter ou blog e não apura? Tem de investigar, e tem de reforçar a corregedoria para dar conta do volume de informação.”

    Célia

  54. Cassio Shibuya Tokyo 26 dezembro, 2009 às 2:11 pm

    CAROS LEITORES LEMBREM-SE DESTE RESULTADO QUE É ATUAL SAIU EM 2009, PORTANTO É ATUAL, ALÉM DE EXISTIREM PROCESSOS ADMINISTRATIVOS DISCIPLINARES – CONTRA DIRETORES DE ESCOLA DA DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA E REGIÃO – ACUSADOS DE TEREM SUPOSTAMENTE COMETIDOS CRIMES DE PECULATO, IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA,DE TEREM COMETIDOS CRIMES CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTADUAL E FEDERAL E ESTÃO SENDO JULGADOS ATUALMENTE/2009 NAS COMISSÕES PROCESSANTES DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO – GOVERNO JOSÉ SERRA E SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO PAULO RENATO DE SOUZA. OS MESMOS AINDA ESTÃO SENDO PROCESSADOS E INVESTIGADOS NA POLICIA FEDERAL PELOS MESMOS CRIMES. LEMBREM-SE QUE SE TRATA DE SERVIDORES PÚBLICOS ESTADUAIS DA SEE- SP, ENVOLVIDOS EM FRAUDES – JULGAMENTOS – 2009.

  55. Antonio de Pádua Corrêa 26 dezembro, 2009 às 2:18 pm

    educaforum@hotmail.com
    ESQUEMA DE CORRUPÇÃO NA DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA:
    Leia no blog da Cremilda o post E as Notas Fiscais “frias” nas escolas públicas?, assunto levantado pelo EducaFórum há mais de um ano, com provas e testemunhos válidos, mas absolutamente ignorado pela mídia.

    educaforum@hotmail.com

  56. Murillo Martins Grassa Montes 26 dezembro, 2009 às 6:22 pm

    Quem tem Yeda, não pode falar do Arruda, diz o Dem a tucanos
    Presidente do Dem protesta contra tucanos que atacaram e abandonaram Roberto Arruda

    Nós, aqui, leitores, até que queríamos tratar de outras coisas e deixar o Arruda e assemelhados para a polícia – que é a instituição apropriada para tratar de privatizadores, vestais de bordel, falsários, chupins de orçamento, vaselino-vigaristas, servo-banquistas, cleptocratas, camareiras do neoliberalismo e da neo-estupidez & outros ladrões.
    Porém, depois da performance do PSDB no caso, não resistimos. Como não somos radicais, não adotaremos como premissa a conclusão científica de alguns de nossos leitores, segundo os quais “a diferença entre o Arruda e o Serra é a careca”. Mas todo mundo sabe que Arruda era ex-tucano e não ex-pefelista. E, pelo número de assinaturas da “Veja” que ele fez o governo do DF comprar (passou R$ 400 mil para os Civita), até que essa conclusão de alguns leitores parece mesmo merecer os encômios destinados à mais alta ciência.
    Arruda saiu do PSDB depois da fraude do painel de votação do Senado. Mas, temos de reconhecer, continuou o tucano de sempre. Aliás, um verdadeiro submarino tucano dentro do córrego ex-pefelista. Aí estão o Ronaldo Caiado e o Demóstenes que não nos deixam mentir: querem exterminar o Arruda do Dem, como o velho Detefon exterminava insetos das casas, não pelos malfeitos agora revelados pela PF, mas porque, em Goiás, Arruda estava bancando o Marconi Perilo.
    O presidente do Dem, deputado Rodrigo Maia, no entanto, ficou muito escandalizado com o abandono do PSDB ao correligionário que seu partido fez o favor de abrigar na hora ingrata que sucede à descoberta de uma fraude.
    Lembrou ele que a direção nacional do Dem “foi solidária com a crise que passa até hoje o PSDB no Rio Grande do Sul e não fez nenhum julgamento”.
    Uma declaração bastante interessante. Por coincidência, a operação da Polícia Federal que investiga o roubo aos esgotos (não é brincadeira, leitor) em todo o Rio Grande do Sul chama-se, precisamente, “Operação Solidária”. Segundo o superintendente da PF em Porto Alegre, Ildo Gasparetto, nas obras de esgotos há suspeita de fraudes que chegam a R$ 300 milhões – até agora, segundo a presidente da CPI que investiga o governo Crusius, deputada Stela Farias, já existiam malversações em torno de R$ 340 milhões, incluindo as constatadas pela “Operação Rodin” (o nome deve ser porque Rodin esculpiu a “Porta do Inferno”), que, ao investigar o Detran-RS, encontrou fraudes de R$ 44 milhões. E não vamos falar da famosa casa da governadora ou do enxoval comprado com dinheiro público, que isso é bagatela, perto do resto.
    No entanto, como disse o deputado Maia, o Dem ficou, até agora, calado – e apoiando a governadora gaúcha. Podem ter sido – e certamente foram – omissos, mas, pelo menos, foram mais discretos do que Serra e seus colegas tucanos, que assinaram documento avalizando a “longa trajetória política, construída com competência e respeito a princípios éticos” da governadora, e garantindo que as descobertas da PF são apenas para colocar “em segundo plano a importante obra administrativa do Governo Estadual, que vem buscando, com extrema seriedade, o equilíbrio das contas públicas e o resgate da credibilidade interna e externa do Estado”. Naturalmente: a governadora é do PSDB, e não do Dem, ou qualquer outro partido.
    Já no Distrito Federal, Arruda (quem mandou ser puxa-saco?) e o Dem que paguem o pato sozinhos, apesar do próprio presidente do PSDB-DF, Márcio Machado, secretário de Obras e candidato ao Senado na chapa de Arruda, ser um dos envolvidos – e com detalhes – nos depoimentos colhidos pela PF. No entanto, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, não quis saber de investigar o correligionário. Disse que o PSDB se retirava do governo do DF porque “os fatos são gravíssimos”. Guerra, por sinal, é outro dos que assinaram o manifesto de apoio a Yeda Crusius. No DF, supõe-se, o PSDB devia ser a flor do lodo – apesar do lodaçal atingir “apenas” o presidente regional do PSDB, implicado pelos mesmos depoimentos que implicam Arruda.
    Diz o deputado Maia que “nós do Dem estamos investigando as denúncias contra um filiado. O PSDB poderia ter investigado a governadora Yeda Crusius, mas não fez”. E nem vai fazer.
    O que deixou mais irritado o presidente do Dem foram as insinuações de que, depois da filmoteca da PF sobre o governo Arruda, seu partido não poderia indicar o candidato a vice na chapa do PSDB.
    “Se for levar em conta escândalos para definir vaga em chapa, talvez o PSDB nem pudesse lançar candidatura presidencial”, disse Maia. E repetiu: “se crises como essa fossem impeditivos de alguma coisa, talvez o PSDB, se fosse o caso, não poderia ter candidato próprio para presidente”.
    Quanto a Arruda, está bem servido: acabou de contratar José Eduardo Alckmin, que vem a ser o advogado de Yeda Crusius. Deve ser um profissional muito experiente nesses assuntos. E até capaz de fazer milagres.

    http://umesa-arq.blogspot.com/2009

  57. Eduardo Moscovisk Braga 26 dezembro, 2009 às 6:24 pm

    Edinho destaca políticas de educação do Governo Lula em Congresso da Umesa

    Políticas Educacionais do Governo Lula pautam 7º Congresso da UMESA

    As políticas públicas implantadas pelo Governo Lula, em especial voltadas para a área de educação, foram pautas de debates do 7º Congresso da Umesa (União Municipal dos Secundaristas de Araraquara), realizado no último sábado (28). O Prouni (Programa Universidade para Todos), a expansão dos Centros Federais Tecnológicos pelo estado e a criação de novas vagas em universidades públicas federais foram alguns dos temas destacados pelos participantes da mesa de abertura.
    “O país tem investido no seu povo. Hoje faço curso de Direito graças ao programa Universidade para Todos. Não podemos permitir que o Brasil volte à era quando o jovem não tinha qualquer perspectiva. Hoje a juventude pode sonhar e planejar seu futuro”, disse Antônio Ananias, Secretário Geral da União Nacional dos Estudantes.

    O Congresso, realizado a cada dois anos, é o Fórum máximo de deliberações dos estudantes da cidade. De acordo com o presidente da entidade, Walter Strozzi Filho, o objetivo foi discutir os rumos da educação, além de temas nacionais importantes como a defesa da soberania, o pré-sal e a formulação de políticas públicas.

    O presidente estadual do PT e ex-prefeito de Araraquara, Edinho Silva, que participou do Congresso de fundação da entidade, esteve novamente presente no evento para fazer um debate sobre a conjuntura estadual e nacional. Em sua intervenção, Edinho falou sobre a importância da oportunidade na vida dos cidadãos, principalmente dos mais jovens. “As pessoas são as oportunidades que elas têm na vida. Não tenho dúvida que hoje estamos construindo um Brasil em que os filhos de trabalhadores podem sonhar com um futuro melhor. A realização de um sonho não pode estar atrelada à conta bancária”, comentou.

    Edinho falou sobre as diversas ações do governo federal que contribuem para perspectivas de vida dos jovens e para a correção de injustiças históricas. “O Governo do presidente Lula fez grandes transformações. Retirou 30 milhões de brasileiros da situação da pobreza. Para a gente ter a dimensão do que isso significa é quase que a Argentina inteira. Outros 26 milhões ascenderam socialmente. Na área de educação, podemos citar grandes programas como o Cefet e o próprio Fundeb”, destacou. Dentre outros assuntos, Edinho ressaltou o investimento feito pelo governo federal na descoberta do pré-sal e o que sua exploração pode significar na melhoria do ensino público e no fomento à tecnologia no Brasil nos próximos anos.

    Já a vereadora Márcia Lia, líder da Bancada do PT na Câmara, falou sobre a liderança exercida pelos jovens presentes no Congresso da Umesa, que, num sábado pela manhã, estavam num auditório debatendo os rumos da educação no estado e no Brasil. “Quando a gente tem capacidade, vontade e garra, somos capazes de ajudar a diminuir a desigualdade no país”, comentou.

    O contraponto entre a política implantada pelo Governo Lula e o Governo Estadual também esteve presente no Congresso. Apesar do orçamento do Estado de São Paulo, o mais forte do país, pouco se tem investido na melhoria do ensino público. Houve debates sobre o sucateamento das escolas estaduais como falta de professores, materiais, funcionários da limpeza e até problemas de estrutura física que comprometem a segurança dos alunos.

    A Umesa é a entidade máxima de representação e organização dos estudantes do ensino fundamental, médio, pré-vestibulares, cursos técnicos e profissionalizantes de Araraquara. Tem em sua base cerca de 40 mil estudantes. A entidade esteve presente em momentos importantes do país como o impeachment do ex-presidente Collor, lutas contra privatizações de empresas estatais entre outras iniciativas visando a soberania nacional e melhorias no ensino público.

    Parcerias

    Durante o governo Edinho Silva, em Araraquara (2001-2008) várias parcerias foram realizadas com a UMESA, entre elas o convênio para que todas as crianças matriculadas na rede municipal de ensino fundamental tivessem a carteirinha de estudante gratuitamente. Também foi firmado convênio entre CTA e Umesa para que as carteirinhas fossem utilizadas pelos estudantes para meio-passe no transporte coletivo.

    O governo também investiu fortemente na educação elevando em mais de 136% o orçamento da pasta entre os anos de 2000 e 2009. Nesse período, houve aumento de 435% no total de vagas em creches públicas, 100% no ensino fundamental e 140% no complementar. Além disso, foram implantados diversos programas como os Portais do Saber, visando a inclusão digital nos bairros, os Cursinhos Populares, dando oportunidade a mais de 3.500 alunos, Escola Municipal de Dança, Dinheiro Direto na Escola, entre outros.

  58. Eduardo Moscovisk Braga 26 dezembro, 2009 às 6:25 pm

    Edinho destaca políticas de educação do Governo Lula em Congresso da Umesa

    Políticas Educacionais do Governo Lula pautam 7º Congresso da UMESA

    As políticas públicas implantadas pelo Governo Lula, em especial voltadas para a área de educação, foram pautas de debates do 7º Congresso da Umesa (União Municipal dos Secundaristas de Araraquara), realizado no último sábado (28). O Prouni (Programa Universidade para Todos), a expansão dos Centros Federais Tecnológicos pelo estado e a criação de novas vagas em universidades públicas federais foram alguns dos temas destacados pelos participantes da mesa de abertura.
    “O país tem investido no seu povo. Hoje faço curso de Direito graças ao programa Universidade para Todos. Não podemos permitir que o Brasil volte à era quando o jovem não tinha qualquer perspectiva. Hoje a juventude pode sonhar e planejar seu futuro”, disse Antônio Ananias, Secretário Geral da União Nacional dos Estudantes.

    O Congresso, realizado a cada dois anos, é o Fórum máximo de deliberações dos estudantes da cidade. De acordo com o presidente da entidade, Walter Strozzi Filho, o objetivo foi discutir os rumos da educação, além de temas nacionais importantes como a defesa da soberania, o pré-sal e a formulação de políticas públicas.

    O presidente estadual do PT e ex-prefeito de Araraquara, Edinho Silva, que participou do Congresso de fundação da entidade, esteve novamente presente no evento para fazer um debate sobre a conjuntura estadual e nacional. Em sua intervenção, Edinho falou sobre a importância da oportunidade na vida dos cidadãos, principalmente dos mais jovens. “As pessoas são as oportunidades que elas têm na vida. Não tenho dúvida que hoje estamos construindo um Brasil em que os filhos de trabalhadores podem sonhar com um futuro melhor. A realização de um sonho não pode estar atrelada à conta bancária”, comentou.

    Edinho falou sobre as diversas ações do governo federal que contribuem para perspectivas de vida dos jovens e para a correção de injustiças históricas. “O Governo do presidente Lula fez grandes transformações. Retirou 30 milhões de brasileiros da situação da pobreza. Para a gente ter a dimensão do que isso significa é quase que a Argentina inteira. Outros 26 milhões ascenderam socialmente. Na área de educação, podemos citar grandes programas como o Cefet e o próprio Fundeb”, destacou. Dentre outros assuntos, Edinho ressaltou o investimento feito pelo governo federal na descoberta do pré-sal e o que sua exploração pode significar na melhoria do ensino público e no fomento à tecnologia no Brasil nos próximos anos.

    Já a vereadora Márcia Lia, líder da Bancada do PT na Câmara, falou sobre a liderança exercida pelos jovens presentes no Congresso da Umesa, que, num sábado pela manhã, estavam num auditório debatendo os rumos da educação no estado e no Brasil. “Quando a gente tem capacidade, vontade e garra, somos capazes de ajudar a diminuir a desigualdade no país”, comentou.

    O contraponto entre a política implantada pelo Governo Lula e o Governo Estadual também esteve presente no Congresso. Apesar do orçamento do Estado de São Paulo, o mais forte do país, pouco se tem investido na melhoria do ensino público. Houve debates sobre o sucateamento das escolas estaduais como falta de professores, materiais, funcionários da limpeza e até problemas de estrutura física que comprometem a segurança dos alunos.

    A Umesa é a entidade máxima de representação e organização dos estudantes do ensino fundamental, médio, pré-vestibulares, cursos técnicos e profissionalizantes de Araraquara. Tem em sua base cerca de 40 mil estudantes. A entidade esteve presente em momentos importantes do país como o impeachment do ex-presidente Collor, lutas contra privatizações de empresas estatais entre outras iniciativas visando a soberania nacional e melhorias no ensino público.

    Parcerias

    Durante o governo Edinho Silva, em Araraquara (2001-2008) várias parcerias foram realizadas com a UMESA, entre elas o convênio para que todas as crianças matriculadas na rede municipal de ensino fundamental tivessem a carteirinha de estudante gratuitamente. Também foi firmado convênio entre CTA e Umesa para que as carteirinhas fossem utilizadas pelos estudantes para meio-passe no transporte coletivo.

    O governo também investiu fortemente na educação elevando em mais de 136% o orçamento da pasta entre os anos de 2000 e 2009. Nesse período, houve aumento de 435% no total de vagas em creches públicas, 100% no ensino fundamental e 140% no complementar. Além disso, foram implantados diversos programas como os Portais do Saber, visando a inclusão digital nos bairros, os Cursinhos Populares, dando oportunidade a mais de 3.500 alunos, Escola Municipal de Dança, Dinheiro Direto na Escola, entre outros.

    umesa – araraquara

  59. Marcos Luiz Penetenatti 26 dezembro, 2009 às 6:31 pm

    Quem tem Yeda, não pode falar do Arruda, diz o Dem a tucanos
    Presidente do Dem protesta contra tucanos que atacaram e abandonaram Roberto Arruda

    Nós, aqui, leitores, até que queríamos tratar de outras coisas e deixar o Arruda e assemelhados para a polícia – que é a instituição apropriada para tratar de privatizadores, vestais de bordel, falsários, chupins de orçamento, vaselino-vigaristas, servo-banquistas, cleptocratas, camareiras do neoliberalismo e da neo-estupidez & outros ladrões.
    Porém, depois da performance do PSDB no caso, não resistimos. Como não somos radicais, não adotaremos como premissa a conclusão científica de alguns de nossos leitores, segundo os quais “a diferença entre o Arruda e o Serra é a careca”. Mas todo mundo sabe que Arruda era ex-tucano e não ex-pefelista. E, pelo número de assinaturas da “Veja” que ele fez o governo do DF comprar (passou R$ 400 mil para os Civita), até que essa conclusão de alguns leitores parece mesmo merecer os encômios destinados à mais alta ciência.
    Arruda saiu do PSDB depois da fraude do painel de votação do Senado. Mas, temos de reconhecer, continuou o tucano de sempre. Aliás, um verdadeiro submarino tucano dentro do córrego ex-pefelista. Aí estão o Ronaldo Caiado e o Demóstenes que não nos deixam mentir: querem exterminar o Arruda do Dem, como o velho Detefon exterminava insetos das casas, não pelos malfeitos agora revelados pela PF, mas porque, em Goiás, Arruda estava bancando o Marconi Perilo.
    O presidente do Dem, deputado Rodrigo Maia, no entanto, ficou muito escandalizado com o abandono do PSDB ao correligionário que seu partido fez o favor de abrigar na hora ingrata que sucede à descoberta de uma fraude.
    Lembrou ele que a direção nacional do Dem “foi solidária com a crise que passa até hoje o PSDB no Rio Grande do Sul e não fez nenhum julgamento”.
    Uma declaração bastante interessante. Por coincidência, a operação da Polícia Federal que investiga o roubo aos esgotos (não é brincadeira, leitor) em todo o Rio Grande do Sul chama-se, precisamente, “Operação Solidária”. Segundo o superintendente da PF em Porto Alegre, Ildo Gasparetto, nas obras de esgotos há suspeita de fraudes que chegam a R$ 300 milhões – até agora, segundo a presidente da CPI que investiga o governo Crusius, deputada Stela Farias, já existiam malversações em torno de R$ 340 milhões, incluindo as constatadas pela “Operação Rodin” (o nome deve ser porque Rodin esculpiu a “Porta do Inferno”), que, ao investigar o Detran-RS, encontrou fraudes de R$ 44 milhões. E não vamos falar da famosa casa da governadora ou do enxoval comprado com dinheiro público, que isso é bagatela, perto do resto.
    No entanto, como disse o deputado Maia, o Dem ficou, até agora, calado – e apoiando a governadora gaúcha. Podem ter sido – e certamente foram – omissos, mas, pelo menos, foram mais discretos do que Serra e seus colegas tucanos, que assinaram documento avalizando a “longa trajetória política, construída com competência e respeito a princípios éticos” da governadora, e garantindo que as descobertas da PF são apenas para colocar “em segundo plano a importante obra administrativa do Governo Estadual, que vem buscando, com extrema seriedade, o equilíbrio das contas públicas e o resgate da credibilidade interna e externa do Estado”. Naturalmente: a governadora é do PSDB, e não do Dem, ou qualquer outro partido.
    Já no Distrito Federal, Arruda (quem mandou ser puxa-saco?) e o Dem que paguem o pato sozinhos, apesar do próprio presidente do PSDB-DF, Márcio Machado, secretário de Obras e candidato ao Senado na chapa de Arruda, ser um dos envolvidos – e com detalhes – nos depoimentos colhidos pela PF. No entanto, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, não quis saber de investigar o correligionário. Disse que o PSDB se retirava do governo do DF porque “os fatos são gravíssimos”. Guerra, por sinal, é outro dos que assinaram o manifesto de apoio a Yeda Crusius. No DF, supõe-se, o PSDB devia ser a flor do lodo – apesar do lodaçal atingir “apenas” o presidente regional do PSDB, implicado pelos mesmos depoimentos que implicam Arruda.
    Diz o deputado Maia que “nós do Dem estamos investigando as denúncias contra um filiado. O PSDB poderia ter investigado a governadora Yeda Crusius, mas não fez”. E nem vai fazer.
    O que deixou mais irritado o presidente do Dem foram as insinuações de que, depois da filmoteca da PF sobre o governo Arruda, seu partido não poderia indicar o candidato a vice na chapa do PSDB.
    “Se for levar em conta escândalos para definir vaga em chapa, talvez o PSDB nem pudesse lançar candidatura presidencial”, disse Maia. E repetiu: “se crises como essa fossem impeditivos de alguma coisa, talvez o PSDB, se fosse o caso, não poderia ter candidato próprio para presidente”.
    Quanto a Arruda, está bem servido: acabou de contratar José Eduardo Alckmin, que vem a ser o advogado de Yeda Crusius. Deve ser um profissional muito experiente nesses assuntos. E até capaz de fazer milagres.

  60. Cassia Maria Grendenne 26 dezembro, 2009 às 6:43 pm

    Mudança

    A Diretoria Regional de Ensino (DRE) e a Oficina Pedagógica da rede estadual serão transferidas, em 2010, para o prédio da Escola Estadual Victor Lacôrte (Bairro São José).
    Cassia

  61. Débora Nascimento do Carmo 26 dezembro, 2009 às 7:03 pm

    26/12/2009 –
    Piores Escolas de 2009


    Este vídeo ainda está em construção…
    Vote na Pior Escola de 2009

    Autor: Mauro A. Silva -http://blig.ig.com.br/cremilda/

  62. Oscar Corvelone Miranda 27 dezembro, 2009 às 10:20 am

    Fuzilamento de corruptos
    Uma vez ouvi de uma pessoa a respeito de honestidade, quando ela observava certa quantia de dinheiro em uma mesa, que “a ocasião, faz o ladrão”, já que o dinheiro estava a li à vista e não havia ninguém por perto. Se observarmos corretamente, o Brasil é rico, tem tudo, ladrão pequeno, médio e de grande porte. Vejam vocês que a impunidade no País causa repetição de escândalos, licitações fraudulentas, envolvendo o mensalão, propina e não deverá ser afetada pela denúncia de um esquema de aliados. Nem mesmo os vídeos que foram divulgados neste final de 2009 afetarão, nem causarão constrangimento a deputados e senadores, nem resultados de investigações dos esquemas de desvio dos recursos públicos fariam a cúpula desistir. Quantas CPIS foram abertas este ano? Quantas tiveram sucesso? Quantas foram encerradas? Quantas das CPIS o povo tomou conhecimento? Quanto dinheiro devido foi devolvido aos cofres públicos? As alianças se tornam sólidas quando se trata de corrupto investigando corrupto, cada um tem sua bala na agulha, sem distinção nenhuma chega próximo ao ventilador, custa-me acreditar que a ocupação na Câmara do Distrito Copenhague Federal (DF) não teve manipulação com endereço certo. Ao ver jovens inteligentes deixandose levar por grupos partidários, que nada mais querem que manipular e desviar a atenção da população. Caro leitor (a), a revolta silenciosa de todos nós ao observar “gente” que morre em soterramentos, de fome, de sede, em filas, em corredores de hospitais. Santas Casas são fechadas por falta de recursos, o governo aumentando impostos, taxando tudo que consumimos, e não se consegue uma brecha que os olhos da lei estão em cima, mas lá na cúpula sobra dinheiro. Quando ouvimos o presidente dizer que não tem como melhorar a vida dos mais necessitados porque a renda não suporta, você leitor (a) acredita? Creio que sobra, “a ocasião, faz o ladrão”. Resta-nos ficarmos felizes na semana do Natal ao ver a população carente na Câmara Legislativa do Distrito Federal recebendo cada um seu panetone. O governo chinês fuzila funcionários públicos corruptos e manda a conta das balas gastas no fuzilamento para a família pagar. Já pensaram se adotasse isso no Brasil?
    “E se adotasse isso na SEE-SP – para punir os corruptos da diretoria de ensino de Araraquara?”
    Oscar Corvelone Miranda
    Colaboradora:
    Irene Candeu
    cidadeararaq@hotmail.com

    

  63. Gustavo Millano Rachid 27 dezembro, 2009 às 10:40 am

    Darcy Dantas volta a ser articulista d’O Imparcial
    Darcy Dantas, professora de matemática e desenho atua na Diretoria de Ensino há mais de 20 anos. Atualmente assessora a dirigente de ensino Maria Santana Gagliazzi. É com muita alegria que ela conta que voltará a fazer parte do grupo de articulistas do jornal ‘O Imparcial’. A má experiência passada nos estertores da Ditadura não ‘roubou’ da artista plástica, formada pela Escola de Belas Artes, o bom humor. Muito ao contrário, apesar dos sérios problemas, ganhou muita experiência. “Aprendi como não fazer determinadas coisas e como entender as pessoas”, afirma. Darcy é grande adepta do voluntariado, tendo realizado vários trabalhos junto às mães, mulheres e filhas dos detentos do CR, Centro de Ressocialização, onde ministrou aulas de trabalhos manuais com o objetivo de ensinar uma atividade que pudesse gerar renda futuramente. Além de conselheira de um órgão municipal que luta pelos direitos e defesa da mulher, canta no coral do Consolador. Mãe de um único filho, Alexandre, professor doutor e coordenador do curso de Direito da PUC Minas, Darcy tem verdadeira adoração pelos netos. A articulista que chegou a ser vice-presidente (pro-tempore) e conselheira da Fundart conta que brevemente vai lançar o livro intitulado ‘Juliana, a mulher que reinventou sua história’. A obra é composta por crônicas que abordam temas atuais como a violência, arte, escola, além de resgatar a cultura, a efervescência de Araraquara através de fábulas.

     Esteve em São Paulo na Secretaria da Educação em reunião com o Coordenador da CEI – Rubens Mandetta acompanhando diretores de escola inconformados com atitudes arbitrárias da atual dirigente de ensino de Araraquara e Região , as reclamações foram formalizadas e entregues ao coordenador de ensino que se comprometeu em averiguar as reclamações e tomar providências cabiveis urgentes.
    É isto que esperam os cidadãos Araraquarenses.
    Gustavo Millano Rachid
    http://www.jornaloimparcial.com.br

  64. Aurea Constâncio Cintra 30 dezembro, 2009 às 9:26 am

    O ÓDIO IRRACIONAL QUE A GLOBO NUTRE CONTRA ALUNO DE ESCOLA PÚBLICA.
    De tanto a gente mostrar que aluno não bate na “coitadinha” da professorinha “santa”… Mostramos que são revides todos os casos em que a imprensa – sobretudo a Rede Globo de Televisão – mostra.
    Aluno tem que apanhar quietinho. O aluno que revidar vira agressor cruel e perigoso pela imprensa pedófoba, que nutre um ódio explicável contra aluno de escola pública.
    Em São Paulo, denunciamos diariamente novos abusos e violências de toda ordem contra aluno, sem que a imprensa divulgue. Ignoram solenemente a opinião e o sofrimento dos alunos e de seus pais. Ignoram a má qualidade do ensino, a corrupção e a impunidade que assola a escola pública.
    Agora importam, do Paraná um caso onde alunos invadiram uma escola. No afã de tornar alunos em delinquentes perigosos, mostram um caso muito suspeito.
    Crianças e adolescentes invadem uma escola, quebram a porta e sujam o banheiro. Como o caso não é tão grave, a ponto de transformar os alunos em demônios, eles contam um caso que supostamente iria comover a todos e colocar a opinião pública contra os “vândalos”: contam que, no páteo da escola, tem uma ninhada de cães e que os invasores mataram seis, atirando-os contra um ventilador.
    O ventilador de plástico – desses que quebram à toa – é mostrado quebrado e, supostamente, por conta de ter os filhotes atirados contra ele.
    Se fosse verdade, estes alunos seriam feras humanas e não crianças e adolescentes. Matar com requintes de crueldade seis filhotes indefesos…
    A Globo até mostra a foto de dois filhotes “sobreviventes”, que não são tão pequenos assim…
    Pelo tamanho do filhote e pelo tamanho do ventilador, é impossível matar um só, imagina seis…
    Um cachorro daquele tamanho, arremessado contra o pequeno ventilador de plástico, já seria o suficiente para quebrar o ventilador. Seis ???
    Ora…Globo. Menos, vai… menos….

    Vejam a fotos e tirem suas conclusões:

    Assista ao vídeo aqui.

    Autor: Cremilda

  65. Rubia Gonçalo Portenho 13 janeiro, 2010 às 7:42 am

    Gabriel Chalita e o Processo de Avaliação

    http://www.udemo.org.br

    A armadilha preparada por Serra
    para o magistério estadual!

    Não nos iludamos, professores, diretores e supervisores!

    Serra, na sua caminhada para destruir a carreira do magistério, fez aprovar a Lei 1097/09, que exige dos educadores da rede estadual a participação em provas para talvez obterem algum reajuste salarial.

    Se você se inscreveu para prestar essa prova, fez com que o governador, numa primeira etapa, atingisse plenamente seus objetivos: convencer a população de que é mais do que justo ser aprovado num exame para conseguir reajuste salarial.

    Por outro lado, essa política de Serra, visa comprometer o dinheiro do orçamento destinado ao magistério, para atender a uma minoria de até 20%, discriminando a classe e excluíndo os aposentados.

    O fato de os colegas participarem dessa farsa significará que estão concordando plenamente com mais uma iniciativa perversa e demagógica.

    Significará, também, que caíram na armadilha montada pelo governador, cujas consequências não demorarão a aparecer nos holerites daqueles que não estarão entre os 20% de aquinhoados, principalmente os aposentados, que, durante todo o governo Serra, tiveram tão somente 5% de reajuste.

    Pense bem! Ainda está em tempo de não cair nessa enganação!

    Se não participarmos dessas provas, se nos engajarmos no movimento do magistério, apontando para a greve, haverá a possibilidade de revertermos a situação, e de obtermos os reajustes que todos nós, ativos e aposentados, merecemos.

  66. Adriana Bastos Cury 19 janeiro, 2010 às 6:24 am

    Glauco nem toda a impressa – Midia é comprada este jornal se indignou, cobrou a secretaria da educação e teve resultado não percamos a esperança no caso da diretoria de ensino de Araraquara.
    Diretora da escola Thomas Alves sofre processo administrativo e é …Segundo publicado no Diário oficial do Estado no dia 18 de novembro, a diretora da Escola Estadual Dr. Thomas Alves,
    jornalocal.com.br/…/diretora-da-escola-thomas-alves-sofre-processo-administrativo-e-e-suspensa/ – Em cacheDiretora da escola Thomas Alves sofre processo administrativo e é suspensa
    Colocado por Jornal Local dez 21st, 2009 Arquivado em Destaques. Pode seguir as respostas a esta entrada através de RSS 2.0. Pode deixar uma resposta ou trackback a esta entrada

    Esperamos justiça e o fim da Impunidade.
    Adriana Bastos Cury

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: